Jean de Léry

Missionário protestante francês nascido em 1534, em La Margelle, na região de Yonne, e falecido em 1613, em L'Isle, na Suíça. Durante a sua vida publicou duas obras sobre a sua estadia no Brasil e mais duas sobre Sancerre, em que descreve a história e cerco da cidade.
O jovem Jean de Léry embarca em 1556, como missionário para a recém-criada colónia francesa de Fort-Coligny, na baía de Guanabara, Rio de Janeiro, Brasil. Aqui, Nicolas Durand de Villegaignon fundara a França Antártica, mas como católico que era, não acolheu bem os missionários protestantes e expulsou-os da colónia. Após dois meses a viver na companhia dos índios Tupinambás, Jean de Léry e alguns dos seus companheiros decidiram regressar a França. Os que teimaram em ficar em Fort-Coligny acabaram por ser massacrados às ordens de Villegaignon.
A viagem de regresso foi atribulada e a chegada a solo francês não foi melhor. Sem suspeitarem de nada, os missionários levavam consigo uma carta, em que Villegaignon ordenava a prisão e execução imediata destes. Mas as autoridades francesas, igualmente protestantes, ignoraram a ordem.
Jean de Léry estava em Sancerre quando se deu o Massacre de São Bartolomeu, a 24 de agosto de 1572, em que os católicos perseguiram ferozmente os protestantes. O cerco à cidade foi prolongado e Léry ensinou aos seus companheiros alguns truques de sobrevivência que aprendera com os Tupinambás do Brasil. Desta experiência nasceram os seus dois livros: História Memorável do Cerco de Sancerre e História Memorável da Cidade de Sancerre publicados dois anos depois. Contudo, a fama de Léry enquanto escritor deve-se ao seu livro História de uma Viagem às Terras do Brasil, onde relata as experiências vividas e registadas no seu diário de bordo. Foi publicado somente em 1578 depois de vários contratempos. Viveu os seus últimos anos de vida como pastor em Genebra.
Como referenciar: Porto Editora – Jean de Léry na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-07-23 19:48:09]. Disponível em