Jeanne Moreau

Atriz francesa nascida em 23 de janeiro de 1928, em Paris. É conhecida por ser uma intérprete multifacetada que se distinguiu nos filmes da Nouvelle Vague nos anos 50 e 60. Filha dum barman e duma bailarina, passou a sua adolescência na capital ocupada pelos nazis. Aqui, apaixonou-se pelo teatro e, apesar da oposição do pai, matriculou-se em 1945 no Conservatório. A sua estreia teatral fez-se em 1947 durante o Festival de Teatro de Avignon. No ano seguinte, ingressou nos quadros da Comédie Française, tendo-se tornado na mais jovem intérprete feminina de sempre a fazê-lo. Quase simultaneamente, começou a sua carreira cinematográfica em Dernier Amour (1949), a que se seguiram uma série de melodramas. Em 1951, juntou-se ao prestigiado Théâtre Nationale Populaire. Cinematograficamente, foi o seu encontro com Louis Malle que mudou a sua vida. Com Ascenseur Pour L'Echafaud (1958) ganhou alguma notoriedade dentro de portas, seguindo-se Les Amants (1959) e Les Liaisons Dangereuses (1959). Venceu o Prémio para Melhor Atriz no Festival de Cannes pelo seu trabalho em Moderato Cantabile (1960), de Peter Brook. Trabalhou com Michelangelo Antonioni em La Notte (A Noite, 1961), mas o reconhecimento internacional só chegou pelas mãos de François Truffaut, quando interpretou Catherine dividida entre o amor a dois homens no mítico Jules et Jim (Jules e Jim, 1962). Estavam abertas as portas da sua internacionalização: protagonizou Journal d'une femme de chambre (Diário de uma Criada de Quarto, 1964) de Luis Buñuel, e filmou em Hollywood The Train (O Comboio, 1964), ao lado de Burt Lancaster, e The Yellow Rolls-Royce (O Rolls-Royce Amarelo, 1964), onde contracenou com Rex Harrison e Ingrid Bergman. Mas foi em França que alcançou os seus melhores papéis: foi de novo dirigida por Truffaut, em La Mariée Était en Noir (1968), e protagonizou Les Valseuses (As Bailarinas, 1974) e Monsieur Klein (Um Homem na Sombra, 1976). Foi também uma das inúmeras vedetas de The Last Tycoon (O Grande Magnata, 1976), de Elia Kazan, onde contracenou com Robert de Niro, Robert Mitchum e Jack Nicholson. Trabalhou ainda sob a direção de Fassbinder no filme maldito Querelle (Um Pacto Com o Diabo, 1982). Esteve presente num dos maiores êxitos comerciais do cinema contemporâneo francês: Nikita (Nikita, 1990). Mais recentemente, tem trabalhado frequentemente para televisão, nomeadamente em grandes produções como Catherine the Great (Catarina, a Grande, 1995), ao lado de Catherine Zeta-Jones, e em Les Misérables (Os Miseráveis, 2000), onde trabalhou com Gérard Dépardieu e John Malkovich.
Como referenciar: Jeanne Moreau in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-10 16:33:32]. Disponível na Internet: