Joana Amendoeira

Fadista, Joana Filipe Lopes Penedos Amendoeira nasceu a 30 de setembro de 1982, em Santarém. Mantendo sempre uma linha tradicionalista, é uma das mais precoces fadistas portuguesas, sendo inclusivamente aquela que gravou mais cedo um CD: Olhos Garotos (1998, Espacial), quando tinha apenas 15 anos. Ao contrário de muitas fadistas da sua geração, sente-se mais próxima de Maria Teresa de Noronha do que de Amália Rodrigues.
Motivada pela tradição ribatejana, aos sete anos já cantava o clássico "Cavalo Ruço". Aos 12 anos, participou pela primeira vez na Grande Noite do Fado de Lisboa, onde interpretou "Estranha Forma de Vida" (Amália Rodrigues/Alfredo Marceneiro). No ano seguinte, voltou a concorrer, desta feita na cidade do Porto, e ganhou o prémio para a melhor interpretação feminina, dentro do seu escalão.
Em 1998, deu o seu primeiro concerto no estrangeiro, integrado na iniciativa «Dias de Portugal», em Budapeste (Hungria). No mesmo ano, apadrinhada por Carlos Zel, gravou o seu primeiro álbum, Olhos Garotos. É desde logo notória uma predileção por um repertório tradicional. Assim se encontram temas como "Olhos Garotos" (Linhares Barbosa/Jaime Santos), "Senhora do Monte" (Gabriel de Oliveira/Alfredo Marceneiro) e "A Tendinha" (José Galhardo/Raul Ferrão). É acompanhada por Paulo Parreira (guitarra portuguesa), João Veiga (viola) e o veterano Joel Pina (viola-baixo). Em 1999, atuou em Paris, com Carlos do Carmo, o que lhe abriu portas para outros concertos, incluindo a participação nas comemorações dos «500 anos do achamento do Brasil». No ano seguinte, gravou o seu segundo álbum, Aquela Rua, já com o estatuto de nome a ter em conta na nova geração. No disco, produzido por Jorge Fernando, Joana Amendoeira é acompanhada por Custódio Castelo (guitarra portuguesa), Carlos Manuel Proença (viola) e Marino de Freitas (viola-baixo).
Em 2003 editou o seu terceiro álbum, que é o primeiro em idade adulta, com o nome Joana Amendoeira. Dos 13 temas interpretados, onze são fados tradicionais. É acompanhada pelo mesmo trio de instrumentistas, só que, desta feita, a produção ficou a cargo do próprio Carlos Manuel Proença. Depois de lançar este disco Joana Amendoeira foi distinguida com o Prémio Revelação 2004 da Casa da Imprensa. No mesmo ano, atuou pela primeira vez no Teatro São Luís, em Lisboa. O espetáculo resultou no seu quarto disco, Ao Vivo em Lisboa, editado em julho de 2005. É acompanhada pelo seu irmão, o guitarrista Pedro Amendoeira, pelo violista Pedro Pinhal e pelo contrabaixista João Penedo e como convidados especiais, o veterano José Fontes Rocha (guitarra portuguesa) e a violoncelista Susana Santos.
A partir de 2000 tornou-se artista residente do Clube de Fado, uma casa de fados da Sé de Lisboa. Frequentou ainda o curso de Antropologia Cultural. Tem dado concertos por todo o mundo, em países como Holanda, Espanha, Inglaterra, Itália, Estados Unidos, Rússia e Áustria.
Como referenciar: Joana Amendoeira in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-07-16 02:55:43]. Disponível na Internet: