Artigos de apoio

João Palma-Ferreira
Ficcionista e crítico literário português, João Pedro Palma-Ferreira nasceu em 1931, em Lisboa, e faleceu, também nessa cidade, em 1989. Licenciado em Filologia Germânica, foi professor do ensino liceal e do ensino superior, na Universidade de Salamanca e na Universidade Nova de Lisboa, consultor literário numa editora e leitor do ex-Instituto de Alta Cultura. Foi ainda funcionário superior da secretaria de Estado da Cultura e da Imprensa Nacional, adido cultural da embaixada portuguesa em Espanha e diretor da Biblioteca Nacional.
Desenvolveu também a atividade de tradução de literatura anglo-americana (Joyce, Hemingway, Henry Miller), tendo sido consagrado sobretudo pelos estudos de crítica e história literária, pela edição de obras importantes para a cultura portuguesa e pela publicação de preciosas pesquisas bibliográficas. Colaborou em publicações como Anteu, Colóquio/Letras, JL, tendo ainda dirigido Critério.
A sua estreia como ficcionista data de 1968 com Três Semanas em maio, obra de carácter sui generis pela interceção discursiva e pela construção dos diálogos e monólogos.
Seguiram-se A Viagem e Os Cranioclastas, reveladores da sua tendência heteróclita. Escreveu ainda um romance picaresco e, numa escrita marcada pela compreensão da literatura como espaço de procura renovada, reflexo literário do fim de um mundo de alicerces estáveis e de equilíbrio seguro, Palma-Ferreira é ainda autor de Diário, um testemunho autobiográfico, em três volumes, onde as circunstâncias históricas que moldaram a existência se cruzam com o registo de leituras, críticas, comentários, comparações sobre autores nacionais e estrangeiros.
Como referenciar: João Palma-Ferreira in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2017. [consult. 2017-06-25 20:12:31]. Disponível na Internet: