Jogos Olímpicos de inverno I

Os jogos olímpicos de inverno constituem uma versão das olimpíadas para os desportos praticados sobre o gelo e a neve e, no início do século XXI, contavam já com numerosas modalidades tais como:
. biatlo, que mistura longas caminhadas sobre a neve com o tiro a alvos localizados a 50 m de distância;
.bobsleigh, na qual é utilizado um tobogã que percorre uma pista de gelo a altas velocidades;
. combinada nórdica, cuja primeira fase, de saltos, determina a posição de largada da corrida de cross-country;
. curling, que tem como objetivo principal posicionar oito pedras em granito o mais próximo possível do alvo (tee);
. esqui alpino, em que o atleta desce a montanha, a alta velocidade, e em cujo percurso foram colocados vários obstáculos (inclui slalom e downhill);
. hóquei no gelo, um jogo de equipa em que os participantes devem marcar golo na baliza adversária, tacando no disco com o stick;
. patinagem artística no gelo, que pode ser executada individualmente ou a pares, combinando sempre patinagem com música, coreografia e dança;
. patinagem de velocidade no gelo, realizada sobre pistas de gelo e que apresenta provas que vão desde os 500 aos 10 000 m;
. saltos de esqui, praticados apenas por homens, em plataformas que variam entre os 90 e os 120 m de altura;
. short track, ou patinagem de velocidade em pista curta, que inclui provas de 500, 1000 e 1500 m;
. skeleton, uma prova de velocidade na qual o participante, deitado de bruços, guia um trenó apenas com os joelhos, tronco e cabeça;
. luge, em que o atleta, deitado, conduz, numa combinação de movimentos das pernas e do tronco, uma espécie de trenó;
. e snowboard, que se divide em três provas, half pipe, slalom gigante e boardercross, sendo que esta última se estreou nos Jogos Olímpicos de Turim, em 2006.
A inclusão dos desportos de inverno nos Jogos Olímpicos nunca foi muito pacífica dentro do Comité Olímpico Internacional. Apesar disso, a patinagem artística viria a ser incluída nos Jogos Olímpicos (de verão) de Londres, em 1908 e, três anos mais tarde, o Comité Olímpico acabaria por autorizar a realização de jogos separados, prevista para 1916. Os eventos deveriam ter lugar em Berlim e na montanha Feldberg; no entanto, com o início da Primeira Guerra Mundial, em 1914, os Jogos Olímpicos foram suspensos.
As olimpíadas reiniciaram-se, então, no verão de 1920, em Antuérpia, mas os únicos desportos de inverno incluídos foram a patinagem e o hóquei no gelo. No Congresso Olímpico de 1921 a ideia inicial de separar os jogos mantinha-se, mas o presidente, Pierre de Coubertin, mostrou-se renitente, considerando que os desportos de inverno eram um produto do snobismo dos ricos. E, apesar de não se ter decidido pela oficialização dos Jogos Olímpicos de inverno, o Comité Olímpico Internacional permitiu que os responsáveis pelos Jogos de verão em Paris realizassem também a "Semana internacional dos Desportos de inverno". O local escolhido foi a base do cume mais alto dos Alpes, o Monte Branco, em Chamonix, uma cidade francesa da região da Saboia. A 25 de janeiro de 1924, com uma temperatura que chegou aos 25 graus negativos, 258 atletas de dezasseis países diferentes marcharam na cerimónia de abertura. Entre eles encontravam-se treze mulheres, todas elas atletas de patinagem artística.
Os noruegueses foram os atletas que atingiram maior sucesso, tendo conquistado quatro medalhas de ouro, sete de prata e seis de bronze e, em segundo, ficaram os finlandeses com quatro medalhas de ouro, três de prata e três de bronze.
Os jogos atraíram mais de dez mil espectadores e o seu enorme sucesso pareceu convencer o Comité Olímpico Internacional que, dois anos mais tarde, em maio de 1926, reconheceu retroativamente os Jogos de Chamonix como os primeiros Jogos Olímpicos de inverno.
Até 1994, os jogos de verão e de inverno ocorreram nos mesmos anos mas, a partir daí, as olimpíadas de inverno começaram a ser praticadas em anos alternados, sendo que entre a edição de Albertville, em França (1992), e a de Lillehammer, na Noruega (1994), decorreram, devido ao acerto, apenas dois anos, ao contrário dos habituais quatro.
Como referenciar: Porto Editora – Jogos Olímpicos de inverno I na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-10-24 08:49:44]. Disponível em