Johann Baptista van Helmont

Químico e médico belga, Johann Batista van Helmont nasceu em Bruxelas, em 1579, e faleceu também na Bélgica, a 30 de dezembro de 1644.
Filho de uma família nobre, Helmont estudou Artes em Louvain até 1594, mas não chegou a obter nenhuma graduação nesta área. Seguidamente frequentou a Escola de Jesuítas em Louvain, mas abandonou-a descontente. A partir daí estudou o trabalho dos místicos até que finalmente enveredou pela medicina. Depois de ter estudado e lido o trabalho de Hippocrates, Galen, Avicenna, Helmont expressou consternação pela falta de informação útil que estes continham.
Em 1609, Helmont casa-se com Margaret van Ranst, também ela proveniente da nobreza.
Helmont representa a transformação entre a alquimia e a química. Se, por um lado, acreditava em magia e na transformação de metais baratos em ouro (pedra filosofal), por outro lado, foi um dos primeiros a usarem a balança nos trabalhos práticos e a acreditar na indestrutibilidade da matéria. Valorizou o trabalho experimental em detrimento de argumentos filosóficos.
Helmont rejeitou a teoria dos quatro elementos de Aristóteles, contudo concordou que ar e água eram elementos.
Foi o primeiro a considerar a produção de gases durante as reações químicas, introduzindo o conceito de gás como terceiro estado de agregação da matéria.
Os estudos extensivos sobre os gases levaram Helmont a ser designado como o pai da química pneumática. Investigou e classificou uma longa lista de gases, provenientes, nomeadamente, das águas termais, da queima do carvão, da fermentação, das erupções e das minas.
Aos 60 anos, Helmont descreveu uma experiência de quase-morte quando acidentalmente se envenenou com gases provenientes da queima do carvão.
Como referenciar: Porto Editora – Johann Baptista van Helmont na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-10-21 17:12:50]. Disponível em