John Malkovich

Ator norte-americano, de nome completo John Gavin Malkovich, nascido a 9 de dezembro de 1953, em Christopher, uma pequena cidade do estado americano do Illinois. Frequentou a Eastern Illinois University, onde queria seguir um curso relacionado com o ambiente. No entanto, as aulas de arte dramática seduziram-no e essa paixão acabou por o levar até Chicago, onde foi um dos fundadores do Steppenwolf Theatre, em 1976. Sete anos depois, foi premiado pelo seu desempenho na peça levada a cena por essa mesma companhia, True West, de Sam Shepard, quando esta estreou em Nova Iorque. Em 1984, Malkovich surge ao lado de Dustin Hoffman na produção da Broadway do clássico de Arthur Miller, Death of a Salesman e, quando esta peça foi adaptada à televisão, com o mesmo elenco da Broadway, Malkovich foi premiado com um Emmy. Entretanto, estreia-se no cinema no filme Places in the Heart (Um Lugar no Coração, 1984), e o seu desempenho valeu-lhe uma nomeação para os Óscares da Academia. Sendo um ator carismático, capaz de transmitir sentimentos profundos e dotado de um olhar penetrante, mas ao mesmo tempo um pouco distante ou até frio, Malkovich tem desempenhado vários papéis de personagens sinistras. Depois da sua participação no filme Empire of the Sun (O Império do Sol, 1987), de Steven Spielberg, Malkovich foi o perverso conde de Valmont em Dangerous Liaisons (Ligações Perigosas, 1988), ao lado de Michelle Pfeiffer e Glenn Close, filme que contribuiu para aumentar a sua popularidade. Em 1990, protagoniza o filme de Bernardo Bertolucci The Sheltering Sky (Um Chá no Deserto, 1990), no papel de um homem um pouco misterioso. Depois de participar, entre outros, no filme Of Mice and Men (Ratos e Homens, 1992), baseado no romance de John Steinbeck, o ator desempenha o papel de um assassino político psicótico e capaz de incontáveis disfarces no filme In The Line of Fire (Na Linha de Fogo, 1993), de Clint Eastwood, o que lhe valeu nova nomeação para os Óscares da Academia, na categoria de Melhor Ator Secundário e outra para os Globos de Ouro. Mas Malkovich não se limitou às produções norte-americanas. Em 1995, Michelangelo Antonioni e Wim Wenders realizam o filme Al Di Là Delle Nuvole (Para Além das Nuvens), onde contam quatro histórias que são interligadas pelo olhar da personagem interpretada por John Malkovich, um realizador que percorre várias cidades europeias em busca de inspiração, e em que participam nomes consagrados do cinema europeu como Jeanne Moreau, Marcello Mastroianni, Irène Jacob, Sophie Marceau e Vincent Perez, entre outros. Esta aproximação ao cinema europeu acaba por trazer Malkovich a Portugal, onde, sob a direção de Manoel de Oliveira, desempenha o papel de um professor americano que chega com a sua mulher, a atriz Catherine Deneuve, a um convento português onde espera encontrar os documentos de que necessita para provar a sua teoria de que Shakespeare nasceu em Espanha e não em Inglaterra. Este filme, O Convento (1995), conta também com os desempenhos de Luís Miguel Cintra e Leonor Silveira. No ano seguinte, volta às produções norte-americanas no papel do misterioso Dr. Jekyll, no filme Mary Reilly (1996), participa em The Portrait of a Lady (Retrato de Uma Senhora, 1996), realizado por Jane Campion e baseado no romance de Henry James, e regressa ao cinema europeu com o filme Der Unhold (O Ogre, 1996). Seguem-se os filmes Con Air (Fortaleza Voadora, 1997) e Rounders (A Vida É Um Jogo, 1997), desempenhando em ambos o papel de vilão, The Man in the Iron Mask (O Homem da Máscara de Ferro, 1998), em que Malkovich é um dos Mosqueteiros e tem como companheiros Jeremy Irons, Gerard Depardieu, Gabriel Byrne e Leonardo DiCaprio, Le Temps Retrouvé (O Tempo Reencontrado, 1999), adaptado do livro de Marcel Proust, onde volta a contracenar ao lado de Catherine Deneuve, e o drama histórico The Messenger: The Story of Joan of Arc (Joana D'Arc, 1999), filmado pelo realizador francês Luc Besson. Entretanto, o realizador Spike Jonze propõe-lhe o desempenho de um papel verdadeiramente fora do comum: que seja nada mais nada menos que ele próprio num filme cujo título é, precisamente, Being John Malkovich (Queres Ser John Malkovich?, 1999). Sendo o ator o tema do filme e uma das suas personagens, ele tem a estranha e surrealista capacidade de deixar as outras personagens do filme entrarem na sua mente, algo que muitos dos seus fãs gostariam, de facto, de poder fazer. O filme conta, entre outros, com a participação de Cameron Diaz, e é a prova da popularidade de um ator tão versátil e cativante, um dos mais conceituados da atualidade. Voltou a trabalhar com Manoel de Oliveira em Je Rentre à la Maison (Vou Para Casa, 2001) e Um Filme Falado (2003). Fez também televisão, participando nas mini-séries Les Misérables (Os Miseráveis, 2000), no papel de Javert, e Napoléon (Napoleão, 2002). Foi também o realizador de The Dancer Upstairs (Em Clandestinidade, 2002), protagonizado por Javier Bardem.
Como referenciar: John Malkovich in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-04-26 01:20:08]. Disponível na Internet: