John Ray

Um dos mais importantes naturalistas e teólogos do século XVII, John Ray nasceu a 29 de novembro de 1627, em Essex, Inglaterra, e morreu a 17 de janeiro de 1705. Filho de um ferreiro e de uma curandeira, terá herdado da sua mãe o gosto pela natureza, sobretudo pelas plantas. Estudou na Cambridge University, especializando-se em áreas tão distintas como línguas, ciências naturais e matemática. Tendo assumido ali, por diversas vezes, excelsos cargos, acabaria, tempos depois, por abandonar Cambridge por defender ideias contrárias à da Igreja Anglicana, à qual, aliás, pertencia e da qual tinha sido ordenado padre em 1660. Após este acontecimento, John Ray encetou diversas viagens, quer em Inglaterra quer na restante Europa, que aproveitou para recolher rochas e espécimes animais e vegetais, com o principal intuito de os analisar e classificar. Tal como Lineu, procurava um "sistema natural" de classificação que refletisse a Ordem Divina da Criação; no entanto, acreditava que a verdadeira classificação deveria incidir sobre os mais variados aspetos morfológicos, fisiológicos, funcionais e comportamentais do ser vivo, e não apenas sobre um conjunto restrito de características.
Foi responsável por alguns trabalhos em embriologia e fisiologia das plantas e, entre outras coisas, demonstrou que a madeira constituinte de um tronco de uma árvore é capaz de conduzir água. Os seus estudos e trabalhos receberam tantos elogios e tornaram-se tão populares que John Ray foi convidado, em 1667, a ingressar na prestigiante e recentemente formada Royal Society of London. A sua saúde debilitada acabaria por condicionar e restringir as suas viagens, tendo passado os últimos anos da sua vida a escrever e a corresponder-se com eminentes cientistas da sua época.
São da sua autoria, entre outras publicações onde apresenta propostas de catalogação de diferentes grupos de seres vivos, Catalogue of Cambridge Plants (1660); Historia Plantarum Generalis, 1.ª parte (1686); The Wisdom of God Manifested in the Works of the Creation (1691), um tratado de Teologia Natural; Three Phyysico-Theological Discourses (1692); Historia Plantarum Generalis, 2.ª parte (1704); e, editado postumamente, Synopsis Methodica Avium et Piscium (1713).
Como referenciar: Porto Editora – John Ray na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-09-29 03:36:57]. Disponível em