Joraci Camargo

Teatrólogo e dramaturgo brasileiro, de nome completo Joraci Schaffedor Camargo, nasceu no Rio de Janeiro em 18 de outubro de 1898 e faleceu na mesma cidade em 11 de março de 1973. Graduou-se em Ciências Jurídicas em 1915, tendo trabalhado como funcionário público. Em 1920, colaborou na fundação do Jornal A Pátria. A sua primeira peça foi escrita para o teatro de revista e intitulou-se Me Leva Meu Bem (1925). Seguiram-se Calma Brasil (1926) e A Menina dos Olhos (1927). Em 1930, começou a dedicar-se exclusivamente ao jornalismo. Iniciou então uma cooperação com o ator Procópio Ferreira, para quem escreveu as peças O Bobo do Rei (1932) e Deus Lhe Pague (1933). Esta última revelou-se um grande sucesso, tendo sido traduzida e encenada em 12 línguas. Em 1941, organizou uma companhia de comédias, com o objetivo de levar o teatro ao povo humilde, tendo também estado na origem da primeira campanha de alfabetização de adultos realizada no Brasil. Outras peças célebres foram Maria Cachuda (1940), Maktub (1941), Nós, as Mulheres (1946), Bagaço (1951) e Figueira do Inferno (1954). Foi também o argumentista dos filmes A Voz do Carnaval (1933) e Vendaval Maravilhoso (1950). Em 1967, ocupou a sua cadeira na Academia Brasileira das Letras, sucedendo a Viriato Correia.
Como referenciar: Joraci Camargo in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-07-20 23:41:10]. Disponível na Internet: