Jorge Mendes

Empresário português de futebol nascido a 7 de janeiro de 1966, em Lisboa. Desde pequeno praticou desporto, tendo começado aos oito anos com o atletismo e prosseguido pelo karaté e futebol.
Foi no futebol que Jorge Mendes apostou, motivado pelo facto de ter ao dispor um campo relvado, situação pouco comum na época, já que tinha acesso ao recinto da Petrogal, empresa onde o pai trabalhava. Fez então parte da equipa de juvenis da Petrogal. Aos vinte anos, depois de fazer a tropa e o 11.º ano, foi viver para Viana do Castelo, onde trabalhou com um irmão administrador de uma empresa de resina. Ao mesmo tempo, prosseguiu a carreira de futebolista, alinhando no clube local, o Vianense, que militava na III Divisão. Jorge Mendes jogava como extremo-esquerdo. Ainda nessa altura, abriu um clube de vídeo. Entretanto, passou a jogar pelos Amadores de Caminha, também da II Divisão, porque esta equipa só treinava à noite, como convinha a Jorge Mendes para poder manter o seu negócio. Dois anos depois, foi convidado a representar o Varzim, da I Divisão, mas optou pelo Lanheses, da III Divisão, porque lhe prometeram que no final da época ia fazer treinos ao Futebol Clube do Porto. No Lanheses assinou um contrato como jogador que, paralelamente, lhe entregava a concessão da publicidade do campo do clube. Foi o primeiro negócio de Jorge Mendes na área do futebol. Posteriormente, ficou com a concessão de um equipamento turístico na praia do Cabedelo, em Viana do Castelo, que explorou durante três anos.
Aos 30 anos, depois de ainda ter representado o Neves, pôs fim à carreira de futebolista. Entretanto, tinha comprado uma discoteca em Caminha, onde conheceu o guarda-redes Nuno, suplente do Vitória de Guimarães. No início da temporada 1996/1997, este jogador queria sair do Vitória de Guimarães e mudar-se para o FC Porto, mas o negócio foi impossível de concretizar devido a um litígio entre os dois clubes. Depois de muitas peripécias, que incluíram o desaparecimento de Nuno durante uns meses, este acabou por assinar contrato com o Deportivo da Corunha, um dos grandes clubes de Espanha. Jorge Mendes, que tinha boas relações com dirigentes do clube espanhol, foi o responsável pela transferência. Tratou-se do primeiro negócio de Jorge Mendes como empresário de futebol. Na temporada seguinte conseguiu colocar Costinha, que na altura alinhava no Nacional da Madeira na II Divisão B, no Mónaco, uma das principais equipas da Liga francesa. Também levou Capucho do Guimarães para o FC Porto, dois clubes que na altura não mantinham relações.
A partir daí, Jorge Mendes passou a representar cada vez mais jogadores de nomeada, até que no início da temporada 2002/2003 fez três excelentes negócios. Apesar de ser um período de recessão entre os clubes de futebol, o empresário conseguiu transferir Jorge Andrade do FC Porto para o Deportivo da Corunha, Paredes do FC Porto para o Reginna, de Itália, e Hugo Viana do Sporting para o Newcastle, de Inglaterra. Este último jogador foi vendido por 12,5 milhões de euros, o valor mais alto de sempre no mundo envolvendo um futebolista jovem. Jorge Mendes causou ainda surpresa ao colocar o desconhecido guarda-redes espanhol Ricardo, do Valladolid, no clube mais rico do mundo, o Manchester United, de Inglaterra.
Como referenciar: Jorge Mendes in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-10-15 07:00:36]. Disponível na Internet: