José Augusto Seabra

Poeta e ensaísta, nascido em 1937, no Porto, formado em Direito pela Universidade de Lisboa e doutorado em Letras pela École des Hautes Études de Paris, com uma tese sobre Fernando Pessoa, subordinada ao título Analyse Structurale des Hétéronymes de Fernando Pessoa: du Poémodrame au Poétodrame, em 1971.
Militante do MUD (Movimento de União Democrática), foi preso na sequência do seu apoio à candidatura de Humberto Delgado. Exilou-se em Paris, onde foi professor na Universidade de Vincennes até 1974, data a partir da qual encetou atividade docente na Faculdade de Letras do Porto. Aí fundou a revista Nova Renascença, dirigiu os Cadernos do Centro de Estudos Semióticos e Literários (1985), co-dirigiu o Centro de Estudos Pessoanos e a revista Persona (1977), onde publicou vários estudos sobre o autor da Mensagem. Nomeado embaixador de Portugal na UNESCO, foi professor catedrático na Sorbonne, de 1994, até à data da sua morte, a 27 de maio de 2004.
Colaborou em inúmeras publicações periódicas, portuguesas e estrangeiras, como Notícias do Bloqueio, A Planície, Coordenada, Cadernos de Literatura, Europe ou Colóquio/Letras. No domínio do ensaio e investigação literária, José Augusto Seabra publicou trabalhos fundamentais sobre a estética de Fernando Pessoa, cujas obras editou e anotou, e sobre o discurso de Roland Barthes, cujas obras traduziu. Na criação poética, estreou-se com A Vida Toda, representado, no início da década de 60, a persistência de uma poesia comprometida onde o contexto histórico funciona como agente implícito e anónimo da angústia e do dilaceramento que o sujeito poético exprime na sua individualidade. Abrindo-se à interrogação ontológica, a sua poesia, simultaneamente clássica e moderna, combina exemplarmente a disciplina formal com o excesso emotivo. De ressaltar, no entanto, na bibliografia literária de José Augusto Seabra, a continuidade entre indagação poética e escrita ensaística, de que se destacam A Pátria de Pessoa ou a Língua Pátria (1985) e Cultura Política ou a Cidade e os Labirintos (1986).
Como referenciar: José Augusto Seabra in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-02-23 04:42:02]. Disponível na Internet: