José Augusto Vieira

Escritor da segunda metade do século XIX, nascido a 13 de julho de 1856, em Valença do Minho, e falecido a 13 de julho de 1890, no Porto. Na sua curta carreira, foi autor de contos e de um romance, A Divorciada, onde pretendeu aplicar de forma ortodoxa a estética naturalista, particularmente o experimentalismo fisiologista, e colaborador em periódicos como a Revista de Estudos Livres, a Folha Nova e a Era Nova. Foi colega de Sampaio Bruno no liceu e, como ele, leitor de Proudhon, Michelet e Büchner. Frequentou a Escola Médico-Cirúrgica do Porto e prestou serviço como cirurgião da Guarda-Fiscal. Num artigo consagrado ao volume de poesias Lira íntima, de Joaquim de Araújo, teorizou sobre a poesia moderna, condenando o "subjetivismo estéril" e defendendo a participação da poesia na "convergência dos espíritos para o aperfeiçoamento" social.
Como referenciar: José Augusto Vieira in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-01-23 05:33:14]. Disponível na Internet: