José Estêvão

Jornalista, deputado e orador português, nascido a 26 de novembro de 1809, em Aveiro, e falecido em 1862, na mesma cidade, é uma das figuras mais destacadas do liberalismo da primeira geração romântica e o primeiro representante da oratória romântica portuguesa, na vertente da eloquência política. Defensor da revolução liberal em 1820, durante o seu tempo de estudante de leis em Coimbra, combatente durante as guerras civis, exila-se em Inglaterra em 1828, após o golpe de D. Miguel. Participa no desembarque das tropas de D. Pedro em Mindelo e na defesa do Porto. A partir de 1837, toma lugar como deputado, na qualidade de líder da ala setembrista, assumindo esse lugar em quase todas as legislaturas. Em 1838, funda o jornal O Tempo, seguido de A Revolução de setembro, órgão da ala setembrista, em 1840. Em 1844, exila-se novamente, após uma revolta fracassada contra a ditadura de Costa Cabral. Em 1846, regressa a Portugal para tomar parte nas insurreições da Maria da Fonte e da Patuleia. Participa no movimento da Regeneração, que põe termo à ditadura cabralista, e mantém o seu lugar como deputado. Será sócio da Academia Real das Ciências e lente de Economia Política na Escola Politécnica.
Como referenciar: José Estêvão in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-11-21 06:23:29]. Disponível na Internet: