José Marques da Silva

Arquiteto português, José Marques da Silva nasceu em 1869, no Porto, e morreu em 1947, na mesma cidade. Filho de um marmorista, é através desta profissão que primeiro entra em contacto com a Arte. Estuda arquitetura na Escola de Belas-Artes de Paris e é com o 1.o projeto para a Estação de S. Bento no Porto que obtém o diploma. Este projeto por fazer uso do ferro como material nobre de construção, foi considerado demasiado ousado na época e uma outra versão mais tradicionalista foi construída.
Marques da Silva foi o mais notável arquiteto português do seu tempo, tendo recebido várias condecorações internacionais, nomeadamente a medalha de prata da Exposição Universal de Paris de 1900 e a medalha de ouro da exposição do Rio de Janeiro de 1908. As suas obras, num estilo marcadamente académico de influência francesa, fazem parte integrante da imagem da cidade do Porto.
Destacam-se os edifícios de escritórios da Rua das Carmelitas (1905), o Teatro Nacional S. João (1909), os antigos armazéns Nascimento (1914 - posteriormente, Galerias Palladium e, atualmente, C&A e Fnac), o Liceu Rodrigues de Freitas (1918), o Liceu Alexandre Herculano (1912 (projeto)-1929), a companhia de seguros "A Nacional" (1919), a Estação de S. Bento (1915) e o monumento à Guerra Peninsular (1808-1814 - situado na praça conhecida por Rotunda da Boavista). A sua última obra foi a Casa de Serralves (1925-1940).
Como referenciar: José Marques da Silva in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-04-24 19:06:06]. Disponível na Internet: