Kinshasa


Aspetos Geográficos
Capital da República Democrática do Congo, Kinshasa situa-se na margem sul do rio Congo, diretamente virada para outra capital africana, Brazzaville. Dá também nome a uma província do país. O seu clima é equatorial, caracterizado pelo calor e a humidade. É a terceira maior cidade de África, possuindo cerca de 7 500 000 habitantes (2005).

História e Monumentos A cidade foi fundada como entreposto comercial em 1881, pelo explorador Henry Stanley. Na altura, chamou-lhe Léopoldville em honra do rei Leopoldo II da Bélgica, financiador da sua expedição. O local floresceu enquanto porto navegável do rio Congo, o que se intensificou em 1898 com a inauguração do caminho de ferro. Em 1929, tornou-se capital do Congo belga, substituindo a cidade costeira de Boma. Em 1965, Mobutu Sese Seko iniciou um processo de africanização dos nomes dos lugares, rebatizando a cidade como Kinshasa no ano seguinte. Apesar de ter crescido bastante sob a administração de Mobutu, Kinshasa sofreu também os seus excessos, incluindo uma corrupção generalizada. Em 1991, e depois em 1993, a cidade sofreu diversas pilhagens cujos reflexos se mantiveram por vários anos, pilhagens que foram consequência da crise económica originada por um sistema político corrupto e ineficaz.

Aspetos Turísticos e Curiosidades
Kinshasa é uma cidade de contrastes, fazendo coexistir agradáveis áreas comerciais e residenciais, três universidades e diversos bairros de lata. Uma das principais áreas de Kinshasa é a Cidade da OUA, sede do governo. Outras são a zona de Matonge, conhecida internacionalmente pela sua vida noturna, e a área residencial de Gombe. Constituem também locais de interesse o Edifício Sozacom, o Hotel Memling, o mercado central, o Museu de Kinshasa e a Academia de Belas-Artes de Kinshasa. A Avenida 30 de junho faz a ligação entre as principais áreas da cidade. Próximo da estação central, fica também o impressionante edifício do Ministério dos Transportes, construído pelos chineses.


Economia
A economia da cidade é débil, assim como a do país, apesar da sua riqueza natural. O seu porto é responsável por uma parte importante do comércio interno e internacional. Como centro administrativo e cultural do país, é sede de diversos canais de rádio e televisão. É servida pelo aeroporto internacional de Kinshasa.
Como referenciar: Kinshasa in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-20 11:04:48]. Disponível na Internet: