Klaus Maria Brandauer

Ator e realizador austríaco, de nome verdadeiro Klaus Georg Steng, nasceu a 22 de junho de 1943, em Alt Aussee. Filho de pai alemão e mãe austríaca, estudou música e representação na Academia de Música e Arte Dramática de Estugarda.
Começou a sua carreira no teatro, onde estreou em 1963 na peça de Shakespeare Measure for Measure, tornando-se membro do Burg Theater, em Viena, em 1972. Em 1973, encenou a sua primeira peça, As You Like It, de William Shakespeare, que foi um êxito.
Em 1968, estreou-se na televisão alemã e na década de 70 dedicou-se a participar em séries e programas televisivos. No cinema, estreou-se como ator em 1972 num pequeno papel no thriller The Salzburg Connection, entrando depois em Októberi Vasárnap (1979). Ao longo desses anos, Brandauer continuou a dedicar-se ao teatro, aquela que considera a sua verdadeira arte, mas em 1981 foi-lhe oferecido o papel de protagonista no filme de István Szabó Mephisto e o sucesso deste proporciona-lhe o reconhecimento internacional.
Em 1983, participou no filme de James Bond Never Say Never Again (Nunca Mais Digas Nunca), onde fez o papel do vilão Largo, trabalhando com Sean Connery. Em 1985, voltou a trabalhar com Szabó em Oberst Redl (Coronel Redl), um drama passado durante o Império Austro-Húngaro. Nesse mesmo ano, recebeu a nomeação para o BAFTA e o Óscar de Melhor Ator Secundário, ganhando o Globo de Ouro da mesma categoria pela sua interpretação do Barão Bror Blixen em Out of Africa (África Minha), de Sydney Pollack, baseado no livro da dinamarquesa Isak Dinesen e protagonizado por Robert Redford e Meryl Streep.
Protagonizou depois o filme de ação Streets of Gold (Ruas de Glória, 1986), de Joe Roth, onde interpretou o papel do campeão de boxe Alek Neuman e, dois anos depois, protagonizou o drama Hanussen (O Profeta, 1988), trabalhando novamente com Istvan Szabó.
Em 1989, dirigiu o seu primeiro filme, Georg Elser - Einer aus Deutschland, onde também interpretou o papel principal. No ano seguinte, fez de Dante, um cientista russo, no thriller The Russia House (A Casa da Rússia, 1990), baseado no livro de John Le Carré, contracenando com Sean Connery e Michelle Pfeiffer. Seguiram-se White Fang (Presas Brancas, 1991), um drama de aventura baseado no livro de Jack London, e Becoming Colette (1992).
Realizou depois o drama Mario und der Zauberer (1994), uma adaptação do livro de Thomas Mann, com Julian Sands no principal papel. Em 1999, fez nova incursão na realização com Die Wand.
Destaque ainda para o seu trabalho de ator em Rembrandt (1999), de Charles Matton; Vercingétórix (Druidas, 2001), em que interpreta o papel de Júlio César; e no drama Between Strangers (Entre Estranhos, 2002), com Sophia Loren e Mira Sorvino.
Como referenciar: Klaus Maria Brandauer in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-23 14:05:23]. Disponível na Internet: