Lauren Bacall

Atriz norte-americana nascida a 16 de setembro de 1924, em Nova Iorque, de seu nome verdadeiro Betty Joan Perske. Desde cedo sonhou em seguir uma carreira artística, tendo frequentado o curso de Interpretação na Academia Americana de Artes Dramáticas. Em 1943, iniciou uma curta mas bem-sucedida carreira de modelo sob a designação de Betty Bacall. No mesmo ano, posou para a capa duma reputada revista, tendo chamado a atenção da esposa de Howard Hawks que a recomendou ao marido que estava à procura duma cara nova para contracenar com Humphrey Bogart em To Have and To Have Not (Ter e Não Ter, 1944). A sua estreia foi bastante auspiciosa, tendo celebrizado neste filme uma imagem de femme fatale que iria perdurar, graças à sua voz sexy e à canção Am I Blue?. No decorrer das rodagens, os dois atores apaixonaram-se, tendo contraído matrimónio no mesmo ano, formando um dos pares mais mediáticos de Hollywood. O casal contracenaria por mais três vezes: no clássico do film noir The Big Sleep (À Beira do Abismo, 1946), em Dark Passage (Prisioneiro do Passado, 1947) e Key Largo (Paixões em Fúria, 1948). Em 1948, Bacall decidiu assinar contrato com a Warner que lhe ofereceu interessantes projetos a solo como Young Man With a Horn (Dois Destinos,1950), Bright Leaf (Fumos de Ambição, 1950), How to Marry a Millionaire (Como Conquistar um Milionário, 1953), Blood Alley (Aldeia em Fuga, 1955) e Written on the Wind (Escrito no Vento, 1956). A morte de Bogart em 1957, vítima de cancro, deixou-a bastante fragilizada. Começou a rarear as suas aparições cinematográficas e entre 1957 e 1966, ano em que casa com o ator Jason Robards, surge em apenas seis filmes. Abandona o mundo do cinema e dedica-se ao teatro, alcançando um retumbante êxito com o musical Applause (1970). Revê a sua posição e regressa ao mundo do cinema, inserida no elenco de luxo de Murder on the Orient Express (Crime no Expresso do Oriente, 1974). Da sua filmografia posterior destacam-se as suas participações no derradeiro título de John Wayne, The Shootist (O Atirador, 1976), Misery (O Capítulo Final, 1990) de Rob Reiner e Prêt-à-Porter (1994) de Robert Altman. Mas o seu melhor papel dos últimos anos viria a ser o da matriarca Hannah Morgan que domina a vida da filha (interpretada por Barbra Streisand) em The Mirror Has Two Faces (As Duas Faces do Espelho, 1996). Nomeada para o Óscar de Melhor Atriz Secundária, partia como grande favorita à conquista do galardão, mas na Noite dos Óscares foi derrotada por uma atónita Juliette Binoche que no seu discurso de vitória revelou a sua surpresa pelo facto, já que fora para a cerimónia convicta de que Bacall sairia vencedora. Em 2003 integrou o elenco de Dogville, de Lars Von Trier.
Como referenciar: Lauren Bacall in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-24 09:45:30]. Disponível na Internet: