Leão Hebreu

Filósofo português, de seu nome Judá Abravanel, filho do Rabino, conselheiro de D. Afonso V. Isaac Abravanel nasceu em 1465, em Lisboa, e morreu em 1535, em Itália. Estudou o Talmude, a Cabala e a filosofia clássica hebraica, latina e muçulmana, e formou-se em medicina.
Filósofo marcado pelo espírito renascentista, de tendência sincrética, tentou mostrar o acordo da Bíblia com a filosofia grega. A sua obra principal, Diálogos de Amor, é um diálogo entre dois amantes: Fílon - o amor - e Sofia - a sabedoria. Aí expõe a sua doutrina, segundo a qual o amor é o fundamento ontológico do real, concebido não apenas como sentimental, mas também como intelectual: deste modo pretende unificar fé e razão, embora deixando clara a prevalência da primeira.
Pelo amor Deus criou e pelo amor a criatura regressa a Deus. É, então, o amor que a tudo anima e a tudo harmoniza. Neste sentido, Leão Hebreu defende uma conceção cosmológica que, à maneira neoplatónica, estabelece uma hierarquia de seres que vai do puro espírito - Deus - à matéria. O mundo é visto como um ser vivo composto de superior e inferior, respetivamente, alma e corpo.
O regresso do homem a Deus realiza-se pelo amor na medida em que este é um amor intelectual; daqui se depreende a função escatológica do conhecimento na sua doutrina.
Como referenciar: Leão Hebreu in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2021. [consult. 2021-01-19 06:38:58]. Disponível na Internet: