Leon Walras

Economista francês, nascido em 1834 e falecido em 1910, é conhecido a nível da teoria económica pelos importantes contributos que deixou na análise do conceito de utilidade marginal e do equilíbrio geral de uma economia.
Filho de um economista (Auguste Walras), o seu percurso profissional foi extremamente variado, incluindo nomeadamente profissão como jornalista, professor, empregado dos caminhos de ferro, diretor bancário e romancista. A etapa mais importante da sua carreira profissional foi, no entanto, como professor de Economia na Universidade de Lausanne, na Suíça, qualidade na qual desenvolveu a maioria dos seus estudos.
A forte utilização da matemática nos seus estudos foi um traço marcante de Walras, facto que fez com que tenha ficado conhecido, juntamente com Vilfredo Pareto, também professor na Universidade de Lausanne, como fundador da escola matemática da Economia. Walras é também considerado um marginalista, na medida em que utilizou e desenvolveu nos seus estudos o conceito de utilidade marginal como fonte do valor dos bens e serviços de uma economia. O seu trabalho a este nível foi mais ou menos simultâneo com os de William Stanley Jevons e Carl Menger.
No entanto, aquele que é considerado como principal contributo de Walras para a ciência económica é o seu trabalho ao nível da teoria do equilíbrio geral, ou seja, da forma como uma determinada economia na qual existe uma multiplicidade de bens pode atingir o equilíbrio geral. Embora não totalmente coroado de sucesso, os estudos de Walras a este nível partiram da criação de um sistema de equações simultâneas, em que o número de equações era igual ao de variáveis desconhecidas. Resolvido o sistema, obter-se-ia os valores das quantidades e preços de equilíbrio. A determinação individual da quantidade e do preço foi um dos maiores contributos do raciocínio de Walras.
Walras ficou ainda conhecido pela definição de um processo mais prático para que um determinado mercado pudesse atingir o equilíbrio, tendo em conta que o equilíbrio geral conforme delimitado matematicamente poderia não ser exequível. Denominou o referido processo de "tâtonnement" (tatear), descrevendo-o como a sequência em que um preço era anunciado, provocando o surgimento de propostas por parte dos intervenientes que, pela sua interação, fariam com que se atingisse um preço de equilíbrio.
A sua principal obra foi Élements d'Économie Politique Pure, publicada em 1903, e que contém uma versão simplificada dos seus estudos realizados anteriormente (na última década do século XIX).
Como referenciar: Leon Walras in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-09-22 02:25:51]. Disponível na Internet: