Levantado do Chão

O romance Levantado do Chão, de José Saramago, é fruto, conforme o próprio autor declara, de um sonho. O de falar sobre o Alentejo, os alentejanos e a sua luta pela sobrevivência. Sonho que o escritor concretizou e partilhou com o leitor, ao publicar, em 1981, este belo livro.
Resultado de um autor e de um narrador principal empenhados, comprometidos e, por vezes, até intervenientes, o livro narra a "saga" de uma família rural alentejana durante os primeiros 75 anos do século XX. "Os Mau-Tempo" (e note-se a simbologia do nome), família formada por António, João, Domingos, Gracinda e Amélia, cruzam-se com outras famílias, como a dos "Canastra" (Sigismundo/Sismundo Canastro e Joana Canastra) e outras anónimas e com o grevista Manuel Espada. Estes cruzamentos, enquanto suporte da intriga, surgem por imperativo da situação de desemprego em que estes trabalhadores se encontravam durante grande parte do ano (só havia trabalho sazonal para satisfazer as necessidades dos latifúndios) e da luta política já organizada contra esta situação de "fome crónica" que lentamente os matava.
Tendo como tema nuclear a exploração, o desemprego e a fome, Levantado do Chão fala-nos do inconformismo dos trabalhadores alentejanos que, se lentamente vão morrendo, também lentamente vão tomando consciência da necessidade de se organizarem para a luta pelo direito ao trabalho, pela jornada de oito horas e pelo uso útil da terra. Situada no tempo entre os anos de 1900 (início da ação) e o de 1975 (fim da ação), a ação desenlaça-se com a criação de uma cooperativa agrícola num dia conotativamente apelidado de "dia levantado e principal" e que simboliza a vitória dos trabalhadores.
Romance inovador e "revolucionário", no que concerne à escrita, à linguagem e à imagética, Levantado do Chão coloca lado a lado registos diferentes de língua. Assim, a linguagem elaborada e classicizante surge a par de alguns momentos coloquiais e mesmo regionais.
Reflexo de uma forte relação afetiva do autor com as gentes sofredoras e resistentes desta região de Portugal, relação assumida através da alcunha de Saramago (planta rasteira que era utilizada para matar a fome) dada aos seus pais, Levantado do Chão é um romance político e histórico que envolve o leitor, levando-o a criar uma empatia com o sofrimento dessas "personagens vivas" que vivem "acontecimentos vividos".
Como referenciar: Levantado do Chão in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-06 06:06:15]. Disponível na Internet: