lexicografia

Ramo da lexicologia, uma das disciplinas da linguística, que se dedica à construção de dicionários, o que inclui a análise dos já existentes, o estudo de metodologias e princípios teóricos para a sua elaboração e estruturação e o debate dos principais problemas teórico-práticos subjacentes à sua produção.
São essencialmente quatro as linhas de investigação mais importantes em lexicografia:

• A tipologia dos dicionários (monolingues, bilingues, dicionários de especialidade, etc.) • A história da lexicografia e dos dicionários
• A crítica lexicográfica aos dicionários que existem no mercado
• A investigação sobre o uso dos vários tipos de dicionários existentes, a par de uma sondagem acerca das necessidades dos utentes

São muitos os problemas em lexicografia (também matalexicografia) dos quais se destacam os seguintes:

• A seleção do tipo de dicionário em função dos objetivos editoriais e das necessidades do público utente (dicionários codificadores, de orientação escolar, onomasiológicos, etc.)

• Definição da unidade lexicográfica: que unidades devem constituir entradas no dicionário? Sufixos? Prefixos? Palavras? Formas flexionais e derivacionais das palavras? Palavras compostas? Siglas, abreviaturas e acrónimos? Unidades superiores à palavra, como expressões fixas e idiomáticas?

• Problemática do tratamento de expressões fixas (colocações como <leite gordo>, <nariz adunco>, <ódio mortal>) e de expressões idiomáticas (como <ser o braço direito de>) no dicionário; para evitar a redundância e economizar recursos, onde devem ser tratadas estas expressões? A combinatória <leite gordo> deve surgir na entrada <leite> ou na entrada <gordo>?

• Tipo de informação que deve conter um dicionário (transcrição fonética, restrições ortográficas, morfológicas, sintáticas, pragmáticas, enciclopédico-cognitivas, etiquetas sobre informações e restrições pragmático-retórico-contextuais)

• Critérios de inclusão das entradas num dicionário: deverá ser por frequência de uso? devem inserir-se: arcaísmos? estrangeirismos? vocabulário técnico? gentílicos? nomes próprios? hipocorísticos? topónimos? antropónimos? siglas, abreviaturas e acrónimos? símbolos químicos?

• Problemática da informação gramatical a incluir no dicionário: devem inserir-se informações gramaticais extensivas ou a demonstração do uso através de um exemplo é suficiente para a maioria do público não especializado?

• Problemática da construção da definição num dicionário monolingue

• Problemática da escolha da(s) variante(s) linguística(s) a incluir no dicionário

Apesar de a prática lexicográfica ser bastante antiga, a lexicografia ou metalexicografia, como ciência, é uma disciplina recente na Europa ocidental até à década de 60, época em que começaram a surgir os primeiros estudos metalexicográficos com Householder, F. W. & Saporta, S. (1962) e com Quemada, B. (1968). A partir da década de 80, verificou-se uma explosão nos estudos lexicográficos, designadamente para o inglês, para o francês e para o alemão, consolidando esta nova disciplina. Recentemente a lexicografia deu lugar à lexicografia computacional, com grande desenvolvimento em várias línguas, proporcionando uma busca mais facilitada do léxico no dicionário, a par da associação de recursos audiovisuais muito didáticos. Em Portugal, a lexicografia é ainda uma área muito jovem, de onde se destacam os nomes de M. Vilela, J. Malaca Casteleiro e Álvaro Iriarte, autor da primeira tese de doutoramento nesta área em Portugal (2001).
Como referenciar: lexicografia in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-16 10:44:49]. Disponível na Internet: