Lilian Jackson Braun

Escritora norte-americana, Lilian Jackson nasceu no ano de 1916, em Massachusetts. Relembrando a sua infância, a autora alegou ter composto o seu primeiro poema com apenas dois anos de idade e aprendido a escrever com a mãe aos três, com o intuito de se poder corresponder com a avó. Não obstante a inverosimilhança destes feitos, Lilian concluiu os seus estudos secundários prematuramente, aos dezasseis anos.
A partir de 1937 começou a publicar poemas e artigos em revistas de baseball, desporto que a fascinava, passando, pouco tempo depois, a colaborar com o periódico Detroit News, no qual foram aparecendo, seis vezes por semana, poemas da sua autoria dedicados ao desporto.
Vendo-se na necessidade de arrecadar algum rendimento, Lilian passou a trabalhar como criadora intelectual para um estabelecimento comercial de grandes dimensões, escrevendo anúncios publicitários. Decidiu prosseguir esta carreira, pelo que estagiou num outro estabelecimento, onde progrediu até ao cargo de diretora de Relações Públicas. Casou ao fim de algum tempo com Earl Braun, o que lhe permitiu retirar-se da vida profissional para se dedicar à escrita de contos, que não chegou a publicar. Acabou no entanto por aceitar uma proposta feita pelo periódico Detroit Free Press, onde passou a escrever artigos sobre assuntos tão diversificados como antiguidades, culinária, arte e decoração. Promovida a editora de departamento, acabou por permanece neste jornal durante os cerca de trinta anos seguintes.
No dia em que comemorava o seu quadragésimo aniversário, recebeu do seu marido um gato como presente. De nome Koko, o siamês resolveu um dia saltar da janela de um décimo andar, o que lhe causou morte imediata.
Desgostosa com a perda do seu animal de estimação, Lilian Jackson Braun começou a escrever como forma de catarse. Após ter completado um conto em que um gato siamês é assassinado e depois vingado, The Sin Of Madame Phloi, decidiu aprofundar esta temática, pelo que publicou o seu primeiro romance em 1966, com o título The Cat Who Could Read Backwards. Bem acolhido pela crítica e pelo público em geral, foi seguido por The Cat Who Ate Danish Modern (1967) e The Cat Who Turned On And Off (1968).
A série 'The Cat Who' relatava as aventuras de um gato detetive, Koko, que comunicava com o seu dono, ou através de gestos esboçados com a cauda, ou pateando um determinado livro da estante. O dono, Jim Quilleran, era um redator de jornal, alcoólico em recuperação vivendo só após o divórcio.
A editora de Lilian Jackson Braun tomou a decisão de desistir da série após a publicação do terceiro volume, o que levou a escritora a concentrar-se na sua carreira jornalística. No entanto, reformando-se na década de 80, retomou a série, publicando The Cat Who Saw Red (1986), a que se seguiram, entre outros volumes, The Cat Who Went Up The Creek (2002).
Como referenciar: Lilian Jackson Braun in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-01-18 21:05:14]. Disponível na Internet: