Lionel Barrymore

Ator norte-americano nascido a 28 de abril de 1878, em Filadélfia, e falecido a 15 de novembro de 1954, na Califórnia, vítima de enfarte de miocárdio. Destacou-se pelo seu ecletismo, pois, além de ator, ainda se destacou como pintor, escritor e músico. Tal como os seus irmãos John e Ethel, iniciou a sua carreira artística no teatro com apenas 6 anos de idade. Chegou ao cinema em 1911, com uma figuração no filme The Battle (1911). Foi um dos atores mais requisitados durante o período do cinema mudo, participando entre 1911 e 1926 em cerca de 110 títulos, na sua maioria, interpretando o papel de militar ou de vilão. Conseguiu convencer a MGM a atribuir-lhe a realização de um projeto: Madame X (1929) foi um êxito e valeu-lhe a nomeação para o Óscar de Melhor Realizador. A sua consagração como ator chegou com A Free Soul (Uma Alma Livre, 1931) onde ganhou o Óscar para Melhor Ator pelo seu retrato de advogado alcoólico que defende em tribunal um gangster (Clark Gable) por quem a sua filha se encontra apaixonada. Seguiram-se outros títulos como Grand Hotel (Grande Hotel, 1932), Dinner at Eight (Jantar Às Oito, 1933), Captain Courageous (Lobos do Mar, 1937) e Saratoga (1937). Em 1939, uma artrite numa perna deixou-o bastante debilitado. Tal não o demoveu de continuar a representar, fazendo-o ou sentado ou numa cadeira de rodas em filmes como It's a Wonderful Life (Do Céu Caiu Uma Estrela, 1946), Duel in the Sun (Duelo ao Sol, 1946) e Key Largo (Paixões em Fúria, 1948). Main Street to Broadway (1953) foi o seu último título.
Como referenciar: Lionel Barrymore in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-05-22 13:35:49]. Disponível na Internet: