Londres


Aspetos Geográficos

Londres, a capital do Reino Unido, localiza-se na Grã-Bretanha, mais precisamente em Inglaterra, na região do Sudeste. Situa-se a 100 km da foz do rio Tamisa, estendendo-se ao longo das suas duas margens. A sua população é de 7 465 100 habitantes e 46% correspondem a minorias raciais. A sua área metropolitana é constituída por 32 distritos, formando uma grande metrópole de 1579 km2.
O natural ou habitante de Londres denomina-se londrino.
História e Monumentos

Londres foi fundada pelos Romanos no século I, quanto estes ocuparam a praça celta de Londinium e transformaram a cidade num porto de embarque de minerais e cereais, que levou ao desenvolvimento de uma região agrícola e industrial próspera. A construção da ponte sobre o rio Tamisa, no ano 50 d. C., tornou-a um importante centro de comunicações, comercial e administrativo. No século II foi muralhada e mesmo com a queda do Império Romano a cidade manteve a mesma atividade económica até ao século IX, quando foi arrasada pelos Vikings. Só no reinado de Eduardo, iniciado em 1042, a cidade conseguiu estabilidade e autonomia política. Em 1348 foi assolada pela peste negra, que vitimou quase metade da população, voltando a florescer económica e culturalmente no reinado de Isabel lI, com a partida das embarcações para a América e Índia em busca de riquezas. Foi nesta altura que surgiram na cidade de Londres pessoas como o dramaturgo W. Shakespeare. Com o advento da Revolução Industrial aumentaramm os postos de trabalho e a população da cidade multiplicou-se várias vezes. O dinamismo industrial manteve-se até à Primeira Guerra Mundial e no final da década de 20 sofreu os efeitos da Depressão. Esta seria muito maior com o final da Segunda Grande Guerra, com a morte de 10 mil habitantes e uma extensa destruição. Com o cessar do conflito, a reconstrução fez-se lentamente e em 1950 a maior parte da cidade havia já sido recuperada, conservando-se cuidadosamente os edifícios mais significativos, como muitas das antigas igrejas, e construindo novos, como é o caso do edifício mais alto da Grã-Bretanha, o Canary Warf Tower, de 224 m de altura.
A Catedral de Saint Paul é um dos símbolos da cidade de Londres e está localizada no extremo ocidental da cidade. Esta possui um museu que reúne as joias da Coroa, uma coleção de armas e de armaduras. É um dos templos utilizados nas celebrações solenes da casa real e onde se encontra o túmulo do duque de Wellington. A Torre de Londres corresponde a uma fortaleza normanda construída no século XI e possui seis torres e dois portões, situando-se a sudeste. A Abadia de Westminster é a igreja mais famosa de Inglaterra e está construída em estilo gótico. Outros monumentos emblemáticos da cidade londrina são o Palácio de Westminster, que é o edifício do Parlamento; o Saint James Palace, residência oficial do Príncipe de Gales, e o Palácio de Buckingham, residência da rainha em Londres.

Aspetos Turísticos e Curiosidades

Os teatros e áreas comerciais mais conhecidos localizam-se em West End, no centro de Londres. O Teatro Nacional e a Royal Opera House estão em Covent Garden. O coração administrativo e centros governamentais encontram-se seguindo a curva do rio Tamisa rumo ao sul. Também aqui se localiza o Hyde Park - o pulmão de Londres, que é o maior espaço aberto da cidade e que nos leva às áreas residenciais de luxo, onde se localizam os famosos armazéns Harrods e o Royal Albert Hall. Mais retirados, mas de grande interesse histórico, estão os distritos residenciais de Greenwich e Wimbledon. O jardim zoológico está integrado no Regent´s Park, situado a norte de West End.
O Museu Britânico localiza-se em Bloomsbury e é um dos maiores e mais famosos do mundo, reunindo coleções egípcias, clássicas, saxónicas e de épocas mais recentes. Neste museu encontra-se situada a Biblioteca Britânica. O Museu Victoria e Alberto, em South Kensington, está dedicado a objetos de artesanato e decorativos de todo o Mundo. Na mesma zona situam-se os museus de História Natural, de Geologia e o da Ciência. Na City fica o Museu de Londres, que faz a retrospetiva histórica da cidade.

Economia

Corresponde a um importante foco cultural e financeiro e não existe nesta cidade apenas um órgão de Governo para todos os municípios. A economia desenvolveu-se inicialmente em torno da sua atividade portuária, que atualmente só detém 10% do tráfego comercial do Reino Unido. A sua economia baseia-se nas atividades financeiras - a Bolsa de Londres é um dos maiores mercados de valores do Mundo; no setor turístico; no dos serviços, em que se destacam os seguros; e no setor docente, pois 6% dos postos de trabalho estão concentrados em universidades muito prestigiadas, instituições académicas e de cultura. O número de empregados na indústria tem diminuído, absorvendo apenas 10% do emprego. Esta reduzida percentagem corresponde a indústria de ponta, farmacêutica, produtos eletrónicos, têxtil e da cerveja.
A melhor opção para as deslocações em Londres é o transporte público: metro, autocarro, táxi e a rede ferroviária, no caso das deslocações para os arredores. É da estação de Victoria que partem os comboios para os portos do canal da Mancha. As ligações são rápidas e cómodas. Existem vários aeroportos, todos eles ligados ao centro pelo metro e por autocarro, mas o mais próximo é o de Heathrow, a 24 km a oeste de Londres. O aeroporto de Gatwick está a 45 km a sul da cidade, o de Luton fica a 48 km a norte e o de Stausted está a nordeste, a 59 km. Os autocarros "Jetlink 747" asseguram as ligações entre eles.
Como referenciar: Londres in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-24 08:53:04]. Disponível na Internet: