Louis-Hector Berlioz

Compositor, crítico e maestro francês do período Romântico, nasceu em 1803, em La Côte-Saint-André, em França, e morreu em 1869, em Paris. Ficou conhecido pela Symphonie Fantastique (1830) e pela peça dramática La Damnation de Faust (1846).
Foi enviado pelo seu pai para estudar medicina, mas acabou por ingressar no Conservatório de Música e, algum tempo depois, compôs Sinfonia Fantástica (Symphonie Fantastique), que se tornou num dos trabalhos mais importantes do século XIX. A seguir, revelou-se um excelente chefe de orquestra, na mesma altura em que se estreou como ensaísta e crítico musical. No entanto, o seu génio criador, e desconcertante para a época, foi mais reconhecido no estrangeiro do que em França. Só depois de morrer é que foi reconhecido como um dos maiores românticos e inovadores, especialmente a nível da instrumentação.
Os seus trabalhos mais significativos incluem as óperas Benvenuto Cellini (1838), Les Troyens (1855-58) e Béatrice et Bénédict (1862); as composições corais Huits Scènes de Faust (1829), Lélio ou le Retour à la Vie (1831), Requiem (Grande Messe des Morts (1837), Roméo et Juliette (1839), Grande Symphonie funèbre et Triomphale (1840), La Damnation de Faust (1846) e L'Enfance du Christ (1854); e os trabalhos orquestrais Waverly (1823), Les Francs-Juges (1827), Symphonie Fantastique (1830), Le Roi Lear (1831), Le Corsaire (1831-52), Harold en Italie (1834) e Le Carnaval Romain (1844).
Como referenciar: Louis-Hector Berlioz in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-10-22 10:28:50]. Disponível na Internet: