Louis Leakey

Paleontólogo, etnólogo e antropólogo físico britânico-queniano, Louis Seymour Bazett Leakey nasceu em 1903, no Quénia (em Kabete). Cresceu entre os Quicuios, tribo junto da qual estavam destacados os seus pais, que trabalhavam como missionários.

Depois de concluir os estudos em Inglaterra, voltou a África oriental para uma série de expedições arqueológicas, entre 1926 e 1935, destinadas a estudar a sequência das culturas pré-históricas do Quénia. Em 1937, inicia um trabalho de campo entre os Quicuios, cujos costumes Leakey considerava ser importante estudar e registar.

O início da Segunda Guerra Mundial coincidiu com a conclusão da monografia sobre a tribo (editada sob o título "Mau-Mau and the Kikuyu", 1952), pela qual foi reconhecido como membro e ancião de segundo nível. Depois, Leakey ficaria a cumprir serviço militar em Nairobi, onde se tornaria responsável pelo Coryndon Museum, que viria a reorganizar e transformar em centro de pesquisa para a África oriental e central.

As mais importantes descobertas arqueológicas e antropológicas de Louis Leakey tiveram lugar na Tanzânia, na garganta do Olduvai, a partir de 1951, onde trabalhou incessantemente, acompanhado de sua mulher, Mary Douglas Leakey e dos seus filhos. De entre as mais reputadas descobertas de Leakey, destacam-se os fósseis de um Australopitecus robustus (1,7 ou 1,6 milhões de anos), em 1959, e de um Homo habilis (entre 2 e 1,6 milhões de anos), em 1964, sendo este último considerado como um dos mais antigos ancestrais diretos conhecidos do Homem. Tais achados permitiram, entre outras ilações, confirmar África como berço da humanidade, comprovando a teoria darwiniana e apoiando as descobertas de Raymond Dart.

Mundialmente reconhecido enquanto cientista, estendendo a sua atividade a varias áreas (a vida animal, a etnologia, o estudo da caligrafia), Leakey foi um professor exemplar, um autor prolífico e um homem profundamente apaixonado por África. Foram muitos os prémios e condecorações que recebeu ao longo da sua vida e carreira, incluindo vários doutoramentos Honoris Causa, em Inglaterra, nos EUA e em África. Faleceu em 1972.
Principais obras de Leakey:

1931, The Stone Age Cultures of Quenia Colony
1934, Adam's Ancestors
1936, Kenya: Contrasts and Problems
1936, Stone Age Africa: an Outline of Pre-History in Africa 1937, White African 1937, Escavations at the Njoro River Cave (com Mary Douglas Leakey)
1952, Mau-Mau and the Kikuyu
1954, Defeating Mau-Mau
1959, First Lessons in Kikuyu
1961, The Progress and Evolution of Man in Africa
1969, Animals of East Africa
1969, Fossil Vertebrates of Africa
1970, Adam, or Ape (Savage, R.J.G. e Coryndon, S.C.)
1974, By the Evidence: Memoirs
1977-1978,The Southern Kikuyu Before 1903 (3 vols.)
Como referenciar: Louis Leakey in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-11-15 02:21:38]. Disponível na Internet: