Louise Brooks

Atriz norte-americana nascida a 14 de novembro de 1906, no Kansas, e falecida a 8 de agosto de 1985, em Nova Iorque. O erotismo inocente, a palidez, a beleza e os cabelos negros fizeram dela um ícone do cinema e um símbolo da década de 1920. Em 1925, ainda adolescente, participou em Follies, de Florenz Ziegfeld, produzido pela Broadway. Imediatamente a seguir filmou A Girl in Every Port (1928) e Beggars of Life (1928). As duas interpretações chamaram a atenção do realizador alemão G. W. Pabst que lhe atribuiu os papéis de Lulu em Die Büchse der Pandora (A Boceta de Pandora, 1928) e de uma prostituta em Tagebuch Einer Verlorenen (1929). Ambos os filmes marcaram o cume da sua carreira. The Canary Murder Case (1929) foi o seu último filme de topo em Hollywood porque os produtores nunca lhe perdoaram o facto de ela se ter recusado a gravar a sua voz para o filme. Quando regressou ao seu país natal, as portas das grandes produções foram-lhe fechadas, obrigando-a a aceitar papéis secundários em filmes de série B. Estava acabada como atriz, vendo-se obrigada a trabalhar como lojista para sobreviver. Em 1955, um milionário com quem vivera um affairre nos anos 20 conferiu-lhe um subsídio anual vital para a sua subsistência. Nos seus últimos anos, trabalhou sobretudo como escritora, elaborando diversos livros sobre a História do Cinema.
Como referenciar: Louise Brooks in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2021. [consult. 2021-01-21 18:22:09]. Disponível na Internet: