Lucky Luciano

Gângster italiano nascido a 11 de novembro de 1897, em Lercara Friddi, na Sicília, Itália, com o nome de Charlie Luciano, e falecido, de ataque cardíaco, a 26 de janeiro de 1962, no aeroporto de Nápoles. Mudou-se com a família para os Estados Unidos em 1906 e instalou-se em Nova Iorque.
Aos 14 anos, deixou a escola para ir trabalhar num escritório de uma empresa de navegação. Ao mesmo tempo vendia droga, o que levou a que aos 19 anos fosse preso por posse de heroína.
Mal saiu da prisão, regressou ao mundo do crime e, em 1920, passou a fazer parte do gang de Joe Masseria. Cinco anos depois, já era o número 2 de Masseria e controlava os negócios relacionados com prostituição, contrabando de bebidas alcoólicas e distribuição de droga. Em 1929, estalou uma guerra entre o bando de Masseria e um outro liderado por Salvatore Maranzano e os membros deste último raptaram Luciano. Espetaram-no com um picador de gelo e cortaram-lhe a garganta após o que o abandonaram numa praia pensando que estava morto. Mas ele sobreviveu e foi a partir daí que começou a ser conhecido por Lucky (sortudo).
Em abril de 1931, aliou-se a outros dois membros do seu gang e assassinaram o seu líder, Joe Masseria. Seis meses mais tarde, com a ajuda de outro gângster, organizou o assassinato de Salvatore Maranzano. Com a eliminação destes dois líderes passou a ser o mais importante patrão do crime em Nova Iorque e reorganizou e modernizou a Máfia. Transformou esta associação criminosa numa organização de nível nacional controlada localmente por mais de duas dezenas de famílias.
Aliado a três outros líderes de bandos, formou o que ficou conhecido por Murder Incorpation (associação do homicídio), uma organização criminal que levava a cabo execuções a troco de dinheiro.
Lucky Luciano levava uma vida faustosa e vivia numa suite num hotel de luxo, onde recebia visitas de amigos como Frank Sinatra.
Entretanto, o mayor (presidente de Câmara) de Nova Iorque, Fiorello La Guardia, ordenou ao procurador que investigasse os negócios de Lucky Luciano e, até 1936, foram recolhidas bastantes provas de atividades ilegais. O gângster foi preso, acusado de promover a prostituição e a extorsão. Foi dado como culpado e condenado a trinta anos de prisão. De qualquer forma, continuou a controlar os seus negócios criminosos a partir da cadeia.
Em 1942, em plena Segunda Guerra Mundial, ajudou o governo norte-americano a evitar casos de sabotagem que os alemães preparavam para o porto de Nova Iorque. Por causa disso, em 1946, o procurador que o investigara, Thomas Dewey, agora com o cargo de governador de Nova Iorque, comutou a pena de Luciano e ordenou que fosse deportado para Itália. Mas este não demorou muito a mudar-se para Cuba, a partir de onde dirigia os seus negócios nos Estados Unidos da América. O governo norte-americano convenceu as autoridades cubanas a fazê-lo regressar a Itália.
Como referenciar: Lucky Luciano in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-05-22 04:17:49]. Disponível na Internet: