Lula da Silva

Presidente da República do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva nasceu em 1945, em Garanhuns, Pernambuco. Aos cinco anos, foi com a família viver para São Paulo, onde o pai estava a trabalhar como estivador.
Com apenas doze anos, Lula começa a trabalhar como engraxador e a entregar roupas de uma lavandaria, passando, dois anos depois, a desempenhar a função de metalúrgico. Lula trabalhava doze horas por dia mas, em paralelo, conseguiu estudar e formar-se como torneiro mecânico em 1963.
Com 22 anos, em 1967, por influência de um irmão que tinha sido militante do extinto Partido Comunista, começou a interessar-se por assuntos sindicais e, em 1969, passou a fazer parte da direção do Sindicato dos Metalúrgicos. Em 1975, foi eleito para a presidência do sindicato e, quatro anos depois, organizou uma greve pela primeira vez, numa época em que o Brasil vivia numa situação de ditadura. Viria a ser afastado do sindicato por um período de 60 dias. No dia 10 de fevereiro de 1980, foi lançado em São Paulo o manifesto que deu origem ao Partido dos Trabalhadores, que Lula passaria a liderar poucos meses depois. Nesse mesmo ano, esteve preso durante 30 dias pela polícia política do regime e viu apreendido o seu mandato de líder do sindicato acusado de ter organizado uma greve de 41 dias que contou com a participação de mais de 200 mil trabalhadores.
Em 1981, foi condenado pela Justiça Militar a três anos e meio de prisão por incitar à desordem coletiva, mas a sentença foi anulada no ano seguinte.
Em 1982, concorreu a governador de São Paulo, ficando em quarto lugar. Em 1983, liderou a campanha "Diretas Já" destinada a pôr fim ao regime ditatorial em vigor no Brasil e ajudou o Partido dos Trabalhadores a fundar a Central Única dos Trabalhadores.
650 mil votos serviram em 1986 para eleger Lula da Silva como deputado federal na Assembleia Nacional Constituinte, cargo que desempenhou até 1990. Nesse ano, concorreu pela primeira vez à presidência do Brasil, mais foi derrotado por Fernando Collor de Mello. Ainda na década de 90, perdeu mais duas eleições presidenciais, em ambas as vezes para Fernando Henrique Cardoso.
Em 1999, Lula da Silva participou na "Marcha dos Cem Mil" contra o presidente Henrique Cardoso.
Finalmente, em finais de 2002, à quarta tentativa, Lula da Silva foi eleito presidente do Brasil. A presidência de Lula foi ensombrada por crises internas e escândalos entre os seus ministros e pelo aumento do desemprego.
Apesar de não ter conseguido resolver convenientemente as questões relacionadas com as ocupações ilegais de terras e de ter adotado uma política de centralização orçamental, Lula da Silva foi reeleito Presidente da República, a 29 de outubro de 2006.
Como referenciar: Lula da Silva in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-24 05:27:16]. Disponível na Internet: