Luxemburgo (cidade)


Aspetos Geográficos

A cidade de Luxemburgo é a capital do Grã-Ducado do Luxemburgo, localiza-se no Sul do país e está dividida em duas partes: a cidade velha, que se situa sobre uma escarpa sobranceira ao rio Alzette, e a cidade nova, que se estende de leste para sul e está alcandorada no planalto de Kirchberg, cortado a pique. Desta forma, a capital luxemburguesa localiza-se na confluência de dois rios, o Alzette e o Petrusse. As duas partes da cidade estão ligadas por viadutos, por isso é também chamada a "Cidade das Pontes" - possui 110 pontes no total. É influenciada por um clima temperado continental, com uma temperatura média de 10 °C. Em janeiro a temperatura varia entre os -1 e os 2 °C e em junho varia entre os 13 e os 23 °C. A sua altitude é de 300 metros e conta, atualmente, com 79 800 habitantes (2004) (uma quinta parte da população total do país), de cerca de 10 nacionalidades diferentes. A cidade está rodeada por áreas residenciais e industriais.

História e Monumentos
A origem do nome e da cidade de Luxemburgo está intimamente ligada a uma pessoa e a um lugar. A palavra Licilinburhuc é sinónimo de fortaleza e a expressão denota dois aspetos fundamentais que caracterizam esta cidade milenar. Fundada no século X, desempenhou ao longo da História europeia um importante papel. Sobre ruínas romanas, a cidade capital desenvolveu-se como uma comunidade estabelecida no interior de uma fortaleza. Foi construída no promontório que, desde o final da Idade Média, é designado por "Bock". Este foi obtido pelo conde Siegfried (de sangue carolíngio e descendente de Carlos Magno por parte de sua mãe), adquiriu a Abadia de St. Maximin e o promontório no vale do rio Alzette. De acordo com os registos, um pequeno forte, provavelmente de origem romana, chamado "Lucilinburhuc", já se encontrava edificado nessa altura. Foi aqui que, pela primeira vez na História, apareceu o nome de Luxemburgo e que passaria para a cidade, que mais tarde se transformou num país. O promontório viria a ser, conjuntamente com o primeiro mercado perto de St. Michelle Church, a cidade cercada por uma simples muralha, mas só se fala na existência de uma verdadeira cidade a partir do século XII. Pressões demográficas levaram no século XIV a uma extensão deste aglomerado; nesta altura existiam 5000 habitantes e 8500 no final do século XVIII. A área urbana passou de cinco para 23 hectares e foi necessário esperar até ao século XIX para passar além da fortaleza. Aqui eram treinados cavaleiros e soldados que se instalavam na parte superior, os artesãos e comerciantes, nas imediações, e a restante população na parte inferior. O facto de ter sofrido um cerco memorável conduzido por Vauban fez com que fosse conhecida por Gibraltar do Norte. Esta designação foi atribuída durante o século XVIII, pois em 1684 o exército francês conquistou Luxemburgo e Vauban reestruturou completamente a defesa do forte, transformando-o numa perfeita fortaleza durante um século. Em 1867, foi declarado perpetuamente estado neutral, tendo o forte sido desmantelado ao longo dos anos que se seguiram. Após longos anos de "opressão", a cidade soube tirar partido da sua "nova" liberdade e rapidamente saiu do anonimato de pequena cidade de província. Foi ocupada pelos Alemães na primeira e segunda guerras mundiais e emergiu como foco de união da Europa Ocidental na década de 40 do século XX.
Em 1994, os velhos quarteirões e as fortificações da cidade de Luxemburgo foram declarados Património Mundial da UNESCO. Segundo a UNESCO, eles mostram, num contexto natural atraente, vestígios impressionantes da antiga cidade. Os seus principais pontos de interesse são a Catedral de Notre Dame, de estilo gótico e construída entre 1613 e 1623; o Paço Ducal, construído em 1572, e a Câmara Municipal onde se reúne o Parlamento. Estes pontos situam-se na cidade velha, que se aglomera em torno das ruínas da antiga fortaleza. A velha cidade é rodeada por uma cintura verde que corresponde ao Parque Municipal e que se harmoniza com a Avenida da Liberdade onde se localizam importantes edifícios assim como a Praça de Paris, que foi fortemente vandalizada nos anos 60. As várias instituições da Comunidade Económica Europeia, como o Tribunal Europeu e o Banco de Investimentos, localizam-se na parte nova da cidade, fundada no século XIX, e em Kirchberg, um subúrbio situado a nordeste.
Também há numerosos centros de exposições, dado que a própria pintura é o exemplo da face cultural deste país, por onde passaram inúmeras personalidades da História que são retratadas nos quadros de Joseph Kutter - "Faces de Crianças". Aqui decorrem múltiplas conferências e está situada a estação de rádio comercial mais antiga da Europa - Rádio Luxemburgo, que foi para o ar em 1934 e ainda continua a emitir para a Grã-Bretanha, França, Países Baixos e Alemanha. Os seus estúdios encontram-se no meio de belos jardins próximos da cidade velha.

Aspetos Turísticos e Curiosidades

A cidade surpreende pelo contraste entre a cidade velha, com as suas fortalezas milenárias, e a cidade alta, verdadeiro centro cosmopolita nas suas múltiplas facetas. Luxemburgo tem muita coisa que a torna apetecível: existem hotéis com elevados padrões internacionais, há restaurantes com gastronomia de quase todas as nacionalidades, comida rápida e alta cozinha onde não falta a simplicidade e especialidade da cozinha luxemburguesa. Existem centros de turismo que convidam o visitante a conhecer melhor a cidade através de visitas guiadas e circuitos turísticos. É de destacar alguns dos museus mais significativos na cidade: o Museu da História da Cidade de Luxemburgo (localiza-se num grupo arquitetónico e urbanístico que reflete a evolução desde a criação da cidade até à atualidade); o Museu Nacional de História e Arte (corresponde a um edifício antigo e reúne coleções medievais, de armas e medalhas, entre outras), o Museu de História Natural (localizado na parte baixa da cidade, está sitiado num edifício moderno), o Museu da Banca e o Museu dos Correios e Telecomunicações (reúne a história dos correios e telecomunicações no Luxemburgo com extensas coleções de documentos, fotografias e aparelhos que testemunham o avanço tecnológico nesta área). Durante os meses de março, abril e maio decorre o festival de Música da primavera de Luxemburgo, que se dedica à música clássica, jazz e popular; no verão existe animação de rua e maratonas de jazz e de blues e um festival de rock; na quadra natalícia, que decorre entre dezembro e fevereiro, organizam-se também festejos, feiras e concertos. Existe uma grande variedade de teatros e de salas de cinema, uma livraria municipal e uma nacional. O casino da cidade foi construído em 1882, tornou-se um centro de socialização no Luxemburgo durante algum tempo e atualmente é um círculo social e cultural da União Europeia, sendo organizadas exibições das novas tendências artísticas, conferências e concertos de música contemporânea.
A cidade de Luxemburgo foi designada Capital Europeia da Cultura para o ano de 1995.

Economia

Capital administrativa e centro económico, possui indústrias variadas, têxteis, relógios, maquinaria, química, alimentar e da cerveja. Possui também um centro universitário e um conservatório de música. Ganhou grande importância ao tornar-se sede de numerosas instituições europeias e pelo facto de, juntamente com Bruxelas e Estrasburgo, constituir a sede do Parlamento Europeu. O impacto de tudo isto sobre a cidade tem sido considerável e atualmente existem cerca de 8000 pessoas a trabalhar nestas instituições. Assim, esta pequena cidade transformou-se no cruzamento da Europa, pois a evolução do seu centro acentuou o carácter internacional da cidade.
Como referenciar: Luxemburgo (cidade) in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-03-19 00:15:00]. Disponível na Internet: