Machado Soares

Cantor, letrista e compositor português, Fernando Machado Soares nasceu a 3 de setembro de 1930, em S. Roque do Pico (Açores). É uma das maiores vozes do fado ou canção de Coimbra, autor da célebre "Balada da Despedida", celebrizada pelo verso «Coimbra tem mais encanto...».
Descobriu a sua vocação musical apenas em Coimbra, para onde foi estudar Direito nos anos 50. Integrou-se num grupo histórico de fados e guitarradas, que incluía Zeca Afonso, Luiz Goes, Fernando Rolim, Florêncio de Carvalho, António Brojo, António Portugal, entre outros. E destacou-se, não só como intérprete e guitarrista, mas também como compositor, tendo sido essencial para o desenvolvimento da canção daquela cidade e para os percursos de notáveis cantores como José Afonso e Adriano Correria de Oliveira. Foi colaborador dedicado dos organismos académicos, tendo representado a universidade no Brasil e em África na década de 1950 e, mais tarde, também nos Estados Unidos. Esteve na base de uma das mais importantes gravações da história da música coimbrã, o Coimbra Quintet. De resto, estava previsto ser ele a dar a voz ao grupo. Contudo, faltou à sessão de gravação, pelo que foi substituído, à última da hora, por Luiz Goes. Uma certa irregularidade pautou inicialmente a sua carreira. Apesar de muito solicitado, Machado Soares fazia questão de só cantar quando lhe apetecesse.
Formou-se em 1958 e seguiu a carreira de magistrado. E, nessa altura, ao contrário do que muitos esperavam, dedicou-se com maior fervor à música, em constantes visitas a Coimbra, tendo então convivido com José Niza, Fernando Gomes Alves, Manuel Pepe e Francisco Bandeira Mateus. Quando foi transferido para o Tribunal de Almada, passou a atuar nas casas de fado de Lisboa, sobretudo no Sr. Vinho, restaurante de Maria da Fé. Tem um extensíssimo reportório e temas seus foram interpretados por José Afonso, Adriano Correia de Oliveira, Luiz Goes e mesmo pelo Coro da Ópera de Helsínquia. É autor da letra e da melodia de um dos maiores clássicos de Coimbra, a "Balada de Despedida de 1956", com os famosos versos «Coimbra tem mais encanto/na hora da despedida». Na sua voz, também ficaram famosas canções como "Balada do Entardecer" (Machado Soares), "Fado das Andorinhas" (Sutil Roque), "Fado da Noite" (Machado Soares), "O meu Menino é d'oiro" (Alexandre Resende) ou "Saudades de Coimbra" (Mário Maria da Fonseca).
Durante a presidência de Mário Soares, foi agraciado com a comenda da Ordem do Infante. Após a morte de Amália Rodrigues, em 1998, por vontade expressa da fadista, assumiu a presidência da Fundação Amália Rodrigues, que tem desenvolvido diversas atividades, incluindo os Prémios Amália Rodrigues, a partir de 2005.
A sua discografia, gravada em Portugal e em França, inclui álbuns como Tempos de Coimbra (Alvorada, 1983), Coimbra tem mais encanto (1986), Radio France (gravado ao vivo nos estúdios da Radio France em 1987), Fernando Machado Soares (Polygram, 1988) e Portugal: le fado de Coimbra (1988, Harmonia Mundi, Portugal (Ocorra, 2001).
Como referenciar: Machado Soares in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-06-19 01:47:42]. Disponível na Internet: