Mafalda Arnauth

Cantora portuguesa, Mafalda Arnauth nasceu a 4 de outubro de 1974, em Lisboa, e revelou desde muito cedo a paixão pela música. Sem aspirar a tal, Mafalda vê-se subitamente projetada para o mundo do espetáculo, das viagens e dos ensaios, das casas de fado, deixando-se tocar pelo calor das palmas e do reconhecimento do público. Primeiro de moto próprio, com o seu jeito peculiar e, depois, seguindo as referências musicais de outrora, Mafalda descobre a sua voz e a vocação para o canto. Daí à escrita das primeiras composições, a cantora deu um pequeno passo. João Gil haveria de ser o produtor do seu primeiro trabalho discográfico. Nos 24 anos de Mafalda Arnauth, o álbum homónimo ganharia o prémio revelação do Blitz e seria nomeado para os globos de Ouro de 2000. O disco já continha várias composições da própria intérprete. A promoção do primeiro álbum percorreria o país e também o estrangeiro, em concertos com um cunho pessoal e que vertiam as raízes da portugalidade mais sentimental do fado. Em setembro de 2000, a atuação perante uma sala esgotada do Centro Cultural de Belém foi o clímax do sucesso inesperado do primeiro disco.
O segundo trabalho da fadista surgiria em 2001. "Esta Voz que Me Atravessa" foi produzido por Amélia Muje e editado em simultâneo em Portugal e na Holanda, pela etiqueta EMI. O disco revelava o crescimento artístico de Mafalda Arnauth, contando com o precioso apoio da poesia de Hélia Correia e da musicalidade genuína de Fausto Bordalo Dias. Na senda do êxito, Mafalda Arnauth tornar-se-ia a primeira artista portuguesa a ser representada internacionalmente pela prestigiada Virgin Records. Em outubro de 2001, Mafalda viveu novo momento especial em Lisboa, desta vez na Culturgest, esgotada com algumas semanas de antecedência. Aliás, este espetáculo seria o ponto de partida para uma digressão por várias capitais europeias. A promoção de "Esta Voz que Me Atravessa" levaria a fadista ao Norte do país, integrada no tema "Fado, a Nova Geração", uma das partes do festival "Um Porto de Fado", no âmbito da Capital Europeia da Cultura, Porto 2001. Já antes, em maio de 2000, Mafalda Arnauth tinha atuado no Teatro Rivoli com inesperado êxito.
Durante o ano de 2002, Mafalda participa em inúmeros concertos, fruto da projeção do seu talento, e várias conferências e colóquios que contribuem para solidificar a imagem da cantora junto do público português.
As gravações do terceiro álbum, com produção de Mafalda Arnauth, terminam em 2003. "Encantamento" chega às lojas ainda nesse ano, revelando um novo alento da fadista, uma renovação de estilo, deixando para trás a fatalidade e a sombra do fado. O reconhecimento nacional e além-fronteiras de Mafalda Arnauth seria reforçado com a divulgação do novo trabalho, multiplicando-se os contactos para a internacionalização do trabalho de fadista. Em 2004, Mafalda Arnauth integra a comitiva presidencial portuguesa numa visita oficial ao Luxemburgo, tendo atuado duas vezes na Place Guillaume.
Como referenciar: Mafalda Arnauth in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-18 01:31:26]. Disponível na Internet: