magia (arte)

A magia é uma arte destinada a entreter o público através de truques ilusionistas destinados a surpreender ao darem a sensação de que foi concretizado algo irreal. Os mágicos ou ilusionistas são os protagonistas deste tipo de espetáculos, realizando truques que parecem ter carácter sobrenatural. Apesar de, de início, os mágicos argumentarem que detinham poderes sobrenaturais, na atualidade assumem que protagonizam apenas números de ilusão.
É praticamente impossível datar o surgimento da magia, mas foi no século XVIII que este tipo de entretenimento se implantou, com os mágicos a ganharem um protagonismo que fez deles vedetas do mundo do espetáculo. O mais antigo registo de um número de ilusionismo de que há referência data de 2700 a. C., quando o mágico Dedi, do Antigo Egito, fez um truque com copos e bolas. Posteriormente, há conhecimento de uso de magia na Roma Antiga, assim como na Idade Média, mas aqui muito associada ao oculto e à bruxaria, situação que se manteve até ao século XIX.
O francês Jean-Eugène Robert-Houdin é considerado o primeiro mágico da era moderna, tendo montado uma sala de espetáculos de magia em Paris, nos anos 40 do século XIX. No entanto, o mágico mais famoso do século XIX foi o norte-americano Erich Weiss, conhecido por Harry Houdini, nome inspirado em Houdin. Harry Houdini introduziu uma série de números novos de magia, muitos deles relacionados com o escapismo, a arte em que se especializou. Entende-se por escapistas os truques em que os ilusionistas escapam de divisões ou caixas fechadas, onde são colocados amarrados.
Depois de um período de algum declínio, os espetáculos de magia regressaram em força no século XX, muito por obra do norte-americano Doug Henning. Este mágico concebeu espetáculos para grandes audiências, em palco e na televisão. Nomes como o norte-americano David Copperfield, a nível mundial, e Luís de Matos, em Portugal, fizeram da magia um espetáculo bastante popular.
Os tipos de magia mais conhecidos são a produção (quando, por exemplo, um mágico faz aparecer um coelho num chapéu), o desaparecimento (quando faz desaparecer algo ou alguém), transformação (quando transforma uma carta qualquer de um baralho na carta específica que deseja), restauro (reconstrói uma carta ou um jornal rasgado ou uma pessoa cortada ao meio), teleportação (quando uma pessoa ou objeto é levado de um lugar para o outro), levitação (uma pessoa flutua no ar) e penetração (quando um sólido atravessa outro).
Uma das características da magia é a de os seus protagonistas não revelarem como fazem os truques. A maior parte das associações de mágicos obriga os seus membros a fazer um voto de confidencialidade.
A 31 de janeiro, comemora-se o Dia Internacional dos Mágicos.
Como referenciar: magia (arte) in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-12-03 07:25:32]. Disponível na Internet: