Malaquias ou a História de um Homem Barbaramente Agredido

Editado pelas Edições Contraponto, dirigidas por Luís Pacheco, e onde foram editados alguns dos textos coletivos e individuais mais importantes da corrente surrealista, é precedido de um prefácio de António Maria Lisboa ("Introdução ao Estudo Sistemático de "Malaquias ou a História de um Homem Barbaramente Agredido" de Manuel de Lima, ou melhor: Introdução à Ação Sistemática Adentro do "Princípio de Malaquias"), outro dos nomes de referência do Grupo Surrealista Dissidente. Narrativa insólita e alucinante de um homem que, face à suspeita de ser traído, desenvolve comportamentos cada vez mais agressivos e absurdos sendo, por esse motivo, sistematicamente agredido. Por fim, Malaquias desfere um golpe de cutelo no seu próprio crânio e analisa-se por dentro, descobrindo, antes de morrer, o "princípio de Malaquias". Lembrando Kafka e o "Plume" de Michaux, na escrita aliciante de Manuel de Lima coincidem o humor, o absurdo, o insólito, o intrigante, o trágico, o derrisório.
Como referenciar: Malaquias ou a História de um Homem Barbaramente Agredido in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-04-18 23:56:02]. Disponível na Internet: