Malsum

Esta divindade, dos povos norte-americanos Wabanaki e Micmac, representava o Mal, contrastando com o seu irmão gémeo, Gluskap (o Mentiroso), que simbolizava o Bem. Era o deus das pragas, dos monstros e da escuridão.
Os dois irmãos nasceram da poeira que estava na mão do deus criador Tabaldak depois de este ter criado o ser humano.
À semelhança de Ioskeha e Tawiscara, estes gémeos estavam constantemente em luta. Uma versão, muito semelhante à dos dois gémeos acima mencionados, conta que o mundo foi criado a meias pelos irmãos, usando o corpo da sua mãe, que morrera de parto. Malsum fez as serpentes, os espinhos das plantas, os insetos, os vales e as montanhas, e Gluskap originou os homens, os peixes, o Sol, a Lua e os animais (Gluskap).
Cada um deles mantinha em segredo a única coisa que os podia matar, e depois de confiarem um ao outro o seu segredo, Malsum apressou-se a matar Gluskap com o toque da pena de um mocho. Gluskap no entanto regressou à vida, pois não tinha confiado ao irmão a arma real que o mataria para sempre. Mais uma vez aconteceu o mesmo, Malsum tentou matá-lo com a raiz de um pinheiro. No combate final, Gluskap - farto das tentativas de fratricídio e armado com um roseiral selvagem - acabou por matar Malsum (o Lobo), que como arma tinha uma haste de veado. Atribuiu-se a batalha de morte entre os dois à disputa pelo domínio do Universo.
Como referenciar: Malsum in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-11 14:57:51]. Disponível na Internet: