manómetro

O primeiro manómetro foi inventado por Varignon, em 1705. Este tinha como finalidade a medição da pressão dos gases num espaço fechado.
Existem diversos tipos de manómetros:
O modelo mais simples é o manómetro de tubo em U ou manómetro de pressão, que é constituído por um tubo de vidro dobrado em forma de U. Para se medir a pressão liga-se uma das extremidades do tubo em U e a outra está aberta para a atmosfera. A diferença de nível de líquido nos dois ramos indica a medida da pressão que se pretende determinar. Outro tipo de manómetro é o manómetro de ionização. Este é um manómetro de vácuo equipado com um detetor constituído por uma válvula eletrónica que comunica com um recipiente cuja pressão se pretende medir.
Este tipo de manómetro é utilizado para medir baixas pressões que podem ir até aos 10-6 pascal (Pa).
O manómetro de Bourdon, consiste basicamente num tubo em forma de C, ou em espiral e com secção transversal oval. Uma das extremidades está em contacto com o fluído cuja pressão se pretende determinar e a outra extremidade está fechada. Aumentando a pressão no tubo, a sua secção oval tem tendência a ficar circular e o tubo direito. O movimento do tubo é registado através de uma agulha ou com auxílio de um mostrador digital.
Este tipo de manómetro é utilizado tanto para medir baixas como altas pressões.
Existe ainda outro tipo de manómetro que é o designado manómetro de Pirani, utilizado para medir baixas pressões. Este é constituído por um filamento aquecido eletricamente, o qual está exposto a um gás cuja pressão se pretende determinar.
Como referenciar: manómetro in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-07-08 00:27:00]. Disponível na Internet: