Manticore

Manticore, também conhecido como Manticora ou Mantichor, é uma criatura lendária, monstruosa, conhecida por ter o corpo de um leão, a cara de um homem de olhos azuis e uma cauda parecida com a do escorpião, tendo também igual capacidade de atirar ferrões envenenados. A boca apresenta três camadas ou fileiras de dentes substituíveis (semelhante ao sistema dentário dos tubarões). Rezavam ainda as lendas sobre o Manticore que o seu rosnar era semelhante ao som de um trompete.
Por vezes pode também aparecer representado como animal alado, com o seu tamanho a variar entre o de um leão normal ou o de um cavalo.
Originário da Pérsia, tanto a lenda como o "animal", etimologicamente o seu nome deriva da expressão persa Mantikhoras (o "devorador de homens"). Os primeiros registos das "manifestações" deste ser remontam aos relatos provenientes das cortes dos reis da Pérsia, a partir do século X a. C. Há também referências, sobre esta mesma besta, entre os Gregos, como Aristóteles, e Romanos, como Plínio, o Velho, o maior naturalista da Antiguidade. Na Idade Média, Manticore manteve-se no imaginário popular, tendo sido também ilustrado sobretudo nos bestiários. No século XVI voltou a ter nova expressão, servindo de motivo em algumas representações pictóricas maneiristas.
Diz a lenda que esta criatura antes de matar pedia sempre à vítima que lhe respondesse a uma charada ou enigma.
Atualmente, o mito diluiu-se mas podemos ver esta criatura representada em jogos de computador, filmes, literatura, ou outras artes.
Como referenciar: Manticore in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2021. [consult. 2021-01-19 05:34:32]. Disponível na Internet: