Manuel Severim de Faria

Historiador português, nascido em 1583, em Lisboa, e falecido em 1665, em Évora, estudou na Universidade de Évora, onde obteve o bacharelato em artes, e graduou-se depois em Teologia. Dedicou-se às suas funções eclesiásticas como chantre de Évora e ao estudo das letras, auxiliando muitos estudiosos do seu tempo com a liberalidade do seu vasto saber. Pelos seus cuidados de investigação monográfica, foi este autor um precursor da Academia Real de História de 1720 e de Ciências de 1779. Historiador, camoniano e erudito notável, refletiu o estado e a condição social em que se achava Portugal no seu tempo. Publicou Discursos Políticos, que inclui as biografias de João de Barros, de Diogo de Couto e de Luís de Camões e historiam as vestes eclesiásticas no nosso país. Nestes discursos versa temas de grande atualidade como as vantagens de Filipe IV estabelecer a corte em Lisboa e as qualidades da língua portuguesa. Notícias de Portugal, obra concluída em 1622, foi apenas impressa em 1655, em Lisboa. Esta obra constitui um excelente estudo dos recursos e das possibilidades do crescimento da nação nos domínios da indústria, do comércio e das artes. Ocupam ainda lugar nesta obra questões de heráldica, genealogia nobiliária, numismática, história das universidades peninsulares, história da organização militar portuguesa e um memorial dos cardeais portugueses. Senhor de uma biblioteca cheia de preciosidades, Severim de Faria recuperou e salvou da destruição alguns manuscritos de autores portugueses, que elogia nestas suas notícias. A propensão noticiarista do autor faz dele um precursor da imprensa noticiosa em Portugal, com a publicação da sua Relação universal do que sucedeu em Portugal e nas mais províncias do Ocidente e do Oriente, em dois números que relatam acontecimentos de 1625 a 1627.
Como referenciar: Manuel Severim de Faria in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2018. [consult. 2018-11-18 16:16:22]. Disponível na Internet: