Margareth Mahler

Psiquiatra e psicanalista de crianças, Margareth Mahler nasceu em 1900, em Sopron, e faleceu em 1985, em Nova Iorque, Estados Unidos da América. Formou-se em Medicina, tendo estudado na Alemanha e posteriormente na Áustria. Em Viena, dirige o primeiro centro de orientação infantil de influência psicanalítica, começando, a partir de 1955, a ensinar psiquiatria na Universidade de A. Einstein.
Reconhecida como uma excelente professora, psicanalista e pesquisadora, Mahler distinguiu-se sobretudo pelos seus trabalhos sobre psicose infantil. Segundo ela, esta patologia tem origem em "distorções severas" que ocorrem precocemente ao longo do desenvolvimento da criança. Mahler efetua uma interpretação etiológica da psicose simbiótica, propondo uma teoria do desenvolvimento psico-afetivo normal da criança e baseia os seus trabalhos na observação de mães e bebés "normais" que foram selecionados para serem incluídos nos seus estudos. A sua pesquisa assenta numa observação do comportamento, que ela considera aquilo que fica "à tona" do funcionamento psíquico profundo que diretamente é muito difícil de apreender.
Os bebés e as suas mães eram observados em ambientes cujas condições eram as mais naturais possíveis, sendo acompanhados por Mahler e pelos seus colaboradores até aos três anos de idade. Mahler efetuou observações participantes, envolvendo-se na relação das mães com os bebés, e observações não participantes, colocando-se "à margem" e observando de fora. As observações tinham como objetivos alguns comportamentos-alvo: a atitude do bebé na presença da mãe, na ausência dela, as suas reações à separação, ao reencontro, etc. Mahler tinha a preocupação de analisar todos os dados recolhidos, sintetizá-los e confrontá-los com as suas teorias.
Das suas principais obras destacam-se Psychose Infantile e La Naissance psychologique de l'être humain.
Como referenciar: Margareth Mahler in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-10 02:59:35]. Disponível na Internet: