Margery Allingham

Escritora inglesa, Margery Louise Allingham nasceu a 20 de maio de 1904, na cidade de Londres. Oriunda de uma família dada aos livros e à escrita, era filha de jornalistas. Quando contava apenas sete anos de idade, o pai deu-lhe um quarto, uma secretária, caneta, papel e um esboço para que começasse a escrever. Assim sendo, conseguiu vender o seu primeiro conto com oito anos de idade.
Frequentou o ensino primário na Endleigh House School de Colchester, onde uma professora destruiu em público uma das suas composições, por não acreditar ter sido da sua autoria, e o secundário na Perse School de Cambridge, até se diplomar pelo Regent Street Politechnic de Londres.
Publicou o seu primeiro romance em 1920, com o título Blackkerchief Dick, uma história de pirataria setecentista inspirada em sessões espíritas em que os seus pais haviam participado.
Após ter trabalhado para revistas de cinema, fazendo a sinopse de filmes mais recomendáveis, dedicou-se à escrita de contos, que seriam descobertos, reunidos e publicados quase trinta anos após a sua morte, no volume The Darings Of The Red Rose (1995).
Decidiu vocacionar o seu talento para o romance policial, publicando o seu primeiro trabalho do género em 1927, com o título Mystery Mile. Seguiram-se The White Cottage Mystery (1928) e The Crime At The Black Dudley (1929), obra em que apresentava ao público o famoso personagem Albert Campion. Bem acolhido pela crítica e pelo público em geral, o sucesso do romance fez com que a autora o reintroduzisse em livros consecutivos.
Assim, em 1937 publicou The Case Of The Late Pig e Dancers In Mourning, obras em que o célebre detetive aliava um coração frágil a uma mente analítica.
Com a deflagração da Segunda Guerra Mundial, Margery Allingham decidiu fazer parte do esforço militar, ao fazer parte de associações civis treinadas para fornecer primeiros-socorros à população em caso de bombardeamento. Armazenou uma quantidade imensa de géneros alimentícios na sua residência, onde colocou estrategicamente explosivos, disposta a mandar tudo pelos ares em caso de uma invasão.
Em 1965 publicou The Mind Readers, romance que contava a história de dois rapazes que encontram um aparelho para ler a mente, o qual logo se torna disputado por milionários, já que tem o poder de dominar o mundo.
Margery Allingham faleceu, vítima de cancro, a 30 de junho de 1966.
Como referenciar: Porto Editora – Margery Allingham na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-12-02 06:26:59]. Disponível em