Mariah Carey

Cantora soul norte-americana, Mariah Carey nasceu a 27 de março de 1970, em Nova Iorque. Criada pela mãe, uma cantora de ópera na New York City Opera, Mariah Carey começou a cantar aos 4 anos. Na escola secundária, iniciou a composição de canções. Após terminar o ensino liceal, obteve a sua grande oportunidade ao ser contratada para fazer coros da cantora Brenda Starr. Tommy Mottola, presidente da Sony Music Enterntainment, ouviu umas gravações de Mariah, contratou-a e acabou por casar-se com ela.
O álbum de estreia, Mariah Carey (1990), constituiu um êxito sem paralelo para uma cantora a dar os primeiros passos, revelando um talento que dominava com igual mestria os estilos pop, soul, R&B, hip-hop e gospel.
Vendendo mais de 12 milhões de cópias em todo o mundo, o álbum homónimo produziu quatro singles, todos eles a ocuparem o topo das tabelas de vendas: "Vision of Love", "Love Takes Time", "Someday" e "I Don't Wanna Cry". No ano de estreia, foi galardoada com dois prémios grammy, nas categorias de Melhor Novo Artista e Melhor Vocalização Feminina Pop.
Seguiu-se Emotions (1991), quádrupla platina, cujo tema-título conseguiu a proeza de ser o quinto "número um" consecutivo da sua carreira. Este álbum proporcionou-lhe um American Music Award.
Em 1993, surgiu Music Box, o seu terceiro álbum de originais, que teve em "Dreamlover", "Hero", e na versão de "Without You" de Harry Nilsson, os seus melhores momentos. Seguiram-se os álbuns Daydream (1996) e Butterfly (1997). Destes álbuns destacaram-se temas como "Fantasy", "One Sweet Day" (em dueto com o grupo Boyz II Men), "Always Be My Baby", "Honey" e "My All".
Em abril de 1998 surgiu no espetáculo Divas Live, produzido pela estação televisiva VH1, ao lado de Celine Dion, Gloria Estefan, Aretha Franklin, e Shania Twain. Em novembro do mesmo ano, lançou uma coletânea dos seus maiores êxitos, na qual incluiu alguns temas originais, de entre os quais merece relevo o dueto com Whitney Houston em "When You Believe", que fez parte da banda sonora da animação The Prince of Egypt.
O ano seguinte viu sair Rainbow, o seu sexto álbum de originais, que incluiu os êxitos "Heartbreaker", "Thank God I Found You" e a versão do clássico de Phil Collins, "Against All Odds".
Em abril de 2000, participou no espetáculo de homenagem a Diana Ross, Divas 2000, produzido pela estação televisiva VH1.
No ano seguinte, surge novo álbum de originais, Glitter, o primeiro pela Virgin Records, que se revelou um fracasso comercial e não foi capaz de manter Mariah Carey no topo da popularidade da cena pop mundial. Além disso, a aparição e súbito desaparecimento de uma mensagem suicida da cantora no seu site oficial e algumas exibições públicas menos próprias levantaram a polémica em torno da cantora e da aparente desorientação da sua vida pessoal e profissional.
Num clima de desconfiança geral, surgiu Chambracelet (2002). O disco foi visto como uma tentativa de camuflar os episódios associados ao registo anterior, com uma nova mudança de editora, para a Island Records. O álbum teve críticas negativas e esteve afastado do mediatismo comercial. A cantora foi recorrentemente criticada pela sua colagem ao mundo hip-hop.
O registo dos melhores momentos da carreira da cantora na Sony, Greatest Hits (2001), é, sem dúvida, o melhor testemunho do trabalho relevante de Mariah Carey e revela o valor da sua voz, entretanto perdida nos caminhos tortuosos da fama e da desorientação.
Como referenciar: Porto Editora – Mariah Carey na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-12-06 08:03:13]. Disponível em