Mário Quintana

Poeta brasileiro nascido a 30 de julho de 1906, em Alegrete, e falecido a 5 de maio de 1994, em Porto Alegre. Começou a trabalhar na redação do diário O Estado do Rio Grande em 1929 e depois em vários outros jornais, começando a publicar nessas edições poemas seus. A partir de 1934, inicia uma carreira de tradutor. O seu primeiro livro traduzido foi Palavras de Sangue de Giovanni Papini, a que se seguiram nomes como Proust, Voltaire, Conrad, Balzac, Virgínia Woolf, e outros autores importantes. Em 1940, publicou o seu primeiro livro de poesias, a Rua dos Cataventos, cujos poemas passaram a integrar livros escolares. A partir de então, várias obras suas foram publicadas, como Canções (1946), O aprendiz de Feiticeiro (1950), Inéditos e Esparsos (1953), Do Caderno H (1973), Quintanares (1976), Apontamentos de História Sobrenatural (1976), 80 Anos de Poesia (1985), Preparativos de Viagem (1987), Sapato Furado (1994), e várias antologias. A morte e a tristeza são temas muito abordados na poesia de Mário Quintana.
Como referenciar: Mário Quintana in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-11-21 15:59:46]. Disponível na Internet: