Artigos de apoio

Marlene Dietrich
Atriz alemã, nasceu a 27 de dezembro de 1901, em Shöneberg, e morreu a 6 de maio de 1992, em Paris, vítima de insuficiência renal. A aparência sofisticada e a sensualidade lânguida fizeram dela uma das estrelas com mais encanto da história do cinema. De seu nome verdadeiro Maria Magdalena Dietrich, era filha de um severo militar prussiano. Estudou violino e mais tarde interpretação dramática. Depois de ter feito algum teatro amador, fez em 1919 a sua estreia cinematográfica com Im Schatten des Glückes. Gradualmente, tornou-se uma das primeiras figuras do cinema germânico, trabalhando com realizadores consagrados como Rudolf Sieber, G. W. Pabst, Alexander Korda e Josef Von Sternberg. Foi este que, deslumbrado com um espetáculo de Dietrich num cabaret, a convidou para protagonizar Der Blaue Engel (O Anjo Azul, 1930), título que fez de si uma figura mítica e uma vamp do cinema. Os produtores americanos ficaram impressionados com a sua presença na tela e convidaram-na a instalar-se em Hollywood. Aí, o seu primeiro título foi Morocco (Marrocos, 1930), onde fez par romântico com Gary Cooper e que lhe valeu uma nomeação para o Óscar de Melhor Atriz. Durante a década de 30, foi a atriz mais bem paga de Hollywood, somando um cachet de 200 mil dólares por cada filme em que participava. Desse período, destacam-se Shangai Express (O Expresso de Xangai, 1932), Blonde Venus (Vénus Platinada, 1932), The Scarlet Empress (A Imperatriz Vermelha, 1934) e Destry Rides Again (A Cidade Turbulenta, 1939). Em 1939, obteve a cidadania norte-americana, algo que enfureceu Adolf Hitler. Os jornais do seu país natal, controlados pelo aparelho nazi, apelidavam-na de antigermânica. Durante a guerra, a atriz gastou largas somas para custear a vinda de amigos alemães para os Estados Unidos. Após a guerra, participou em filmes franceses e ingleses. Foi dirigida por Alfred Hitchcock em Stage Fright (Pavor nos Bastidores, 1950), por Billy Wilder em Witness For the Prosecution (Testemunha de Acusação, 1957) e por Orson Welles em Touch of Evil (A Sede do Mal, 1958). Em 1960, voltou ao seu país natal onde fez uma digressão musical. Se em Berlim foi aclamada triunfalmente, já em Munique foi alvo de numerosos insultos. Regressou a Hollywood para filmar uma participação secundária em Judgement at Nuremberg (O Julgamento de Nuremberga, 1961), onde interpretou Madame Bertholt, viúva de um oficial nazi. Decidiu então dedicar-se a uma carreira de espetáculos musicais, percorrendo os principais cabarets americanos e europeus. Começou então a perder a batalha contra o alcoolismo e em 1968, no decurso de um concerto em que se apresentou visivelmente embriagada, caiu do palco, sofrendo fratura exposta das pernas. Decidiu então instalar-se em Paris, vivendo num estado de semi-reclusão que só interromperia em 1979, quando voltou ao mundo do cinema para filmar uma participação no filme Just a Gigolo (A História de um Gigolo), ao lado de David Bowie.
Como referenciar: Marlene Dietrich in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2017. [consult. 2017-11-25 05:43:07]. Disponível na Internet: