matriz BCG

Instrumento utilizado a nível da gestão estratégica das empresas, designadamente no que concerne à análise da evolução das várias áreas de negócio nas quais atuem. Este modelo parte de dois itens de classificação: taxa de crescimento do mercado para cada área de negócio em causa, que poderá ser alta ou baixa; quota de mercado da empresa em cada uma das áreas de negócio, também classificada como alta ou baixa.
A partir destes dados, a análise através da matriz BCG resulta na existência de quatro áreas onde as áreas de negócio da empresa se podem situar: uma área onde a quota de mercado é baixa e a taxa de crescimento do mercado é alta (área 1); uma área onde a quota de mercado é alta e a taxa de crescimento do mercado em causa também é alta (área 2); uma área onde a quota de mercado é alta e a taxa de crescimento do mercado é baixa (área 3); uma área onde a quota de mercado é baixa e a taxa de crescimento do mercado também é baixa (área 4).
De seguida, este modelo atribui uma classificação às áreas de negócio situadas em cada uma das áreas referidas, de acordo com o exposto de seguida. As áreas de negócio situadas na área 1, com pequena quota de mercado mas em mercados em grande crescimento, denominam-se "question marks" (pontos de interrogação). Necessitam, à partida, de grandes volumes de investimento para crescerem e a empresa deve apoiar de forma seletiva as áreas com maior potencial por forma a garantir bons resultados futuros.
As áreas de negócio na área 2, com grandes taxas de crescimento e em que a empresa detém uma elevada quota de mercado, são denominadas de "stars" (estrelas). Estes negócios são também normalmente alvo de fortes investimentos para manter ou reforçar a posição da empresa.
As áreas de negócio da área 3, com elevada quota de mercado por parte da empresa mas com baixas taxas de crescimento do mercado, são designadas por "cash-cows" (vacas leiteiras), na medida em que assumem normalmente índices de rendibilidade muito elevados, tendo poucas necessidades de investimento e libertando até meios para a empresa investir noutras áreas.
Finalmente, na área 4, com baixa quota de mercado e baixa taxa de crescimento deste, situam-se as áreas de negócio denominadas de "dogs" (cães). São normalmente áreas que não dão prejuízo mas também não libertam meios para investimentos noutras áreas.
Uma indicação importante deste tipo de análise é a dinâmica que a empresa deverá imprimir em alguns casos no sentido de, por exemplo, transformar "question marks" em "stars". Por outro lado, é relativamente normal que áreas de negócio "star" se transformem em "cash-cows" a partir de uma desaceleração do mercado.
É mais ou menos frequente que, em articulação com o seu ciclo de vida, as áreas de negócio sigam um percurso que começa na área 1 e termina na área 4, passando sucessivamente pelas áreas 2 e 3.

Como referenciar: matriz BCG in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-11-18 09:30:25]. Disponível na Internet: