Maurice Chevalier

Ator e cantor francês de musicais e comédias, nasceu a 12 de setembro de 1888 e faleceu a 1 de janeiro de 1972, em Paris, vítima de complicações após uma cirurgia renal. «Benjamim» de nove irmãos, deixou de estudar aos 11 anos para trabalhar como operário. O seu primeiro contacto com o meio artístico foi como acrobata num circo, mas um acidente que lhe motivou a fratura de um braço levou-o a abandonar as artes circenses para se dedicar às canções. Rapidamente se tornou afamado no circuito dos cabarets parisienses e, em 1908, chegaria mesmo ao cinema, participando na curta-metragem Trop Crédules. Quando eclodiu a 1.ª Guerra Mundial, era uma estrela das Folies-Bergère. Aprisionado, foi mantido em cativeiro durante dois anos num campo militar. Findo o conflito, continuou na senda do sucesso, especialmente na revista musical. Em 1929 e após numerosos convites, muda-se para Hollywood, onde encanta os americanos com o seu timbre melodioso e o seu sotaque. Recebe uma nomeação para o Óscar de Melhor Ator pela sua participação nos filmes The Big Pond (O Grande Charco, 1930) e The Love Parade (A Parada do Amor, 1930). Ficou célebre o seu dueto com Jeanette MacDonald em The Merry Widow (A Viúva Alegre, 1934). Durante a Segunda Guerra Mundial, o seu prestígio ficou algo beliscado devido ao facto de ter continuado a dar espetáculos numa França ocupada pelos nazis. Continuou a filmar regularmente no seu país natal e nos EUA, destacando-se Gigi (1958), Can-Can (1960) e Fanny (1961). Em 1958, recebeu um Óscar Honorário pelo seu meio século de contribuição para o mundo do espetáculo.
Como referenciar: Maurice Chevalier in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-09-15 08:26:20]. Disponível na Internet: