Mem Ramires

Mem Ramires, que o historiador Joaquim Veríssimo Serrão indica ter origem moçárabe, viveu no século XII e foi um dos companheiros e homem de confiança de D. Afonso Henriques. Este militar destacou-se sobretudo na conquista da cidade de Santarém (Scalabis), processo que levou a cabo com muito engenho. Já em épocas anteriores, monarcas como D. Afonso VI de Leão (em 1093) se tinham deparado com a posição inexpugnável da cidade, situada no topo de uma elevação e rodeada de muralhas. Mem Ramires foi enviado por D. Afonso Henriques para estudar minuciosamente a cidade, o que ele fez presumivelmente disfarçado de bufarinheiro. Desta empresa apenas tiveram conhecimento pessoas da confiança de D. Afonso Henriques, como D. Teotónio, prior do Mosteiro de Santa Cruz de Coimbra (era nesta cidade que então se encontrava o futuro rei de Portugal). Descobrindo quais os pontos em que a defesa da cidade era menos apurada, Mem Ramires apressou-se a informar o seu senhor. O ataque ocorreu no dia 13 de março de 1147 e Mem Ramires foi o primeiro a assaltar as muralhas. Conta-se que a escada que lançou para este intento caiu, pelo que se apoiou em Mogueime, um soldado que se encontrava nas proximidades e tinha a felicidade de possuir uma elevada estatura. Conseguiu assim Mem Ramires transpor a fortificação, hastear a bandeira de D. Afonso Henriques e criar uma manobra de diversão que permitiu que as portas da cidade fossem tomadas pelas forças invasoras. O ataque, efetuado durante a noite e de surpresa, acabou por granjear a D. Afonso Henriques não só um importante centro de abastecimento de cereais e um importante centro estratégico para a continuação da reconquista cristã aos mouros como a fama de ser um militar arguto. A tomada de Santarém foi relatada por um autor anónimo num manuscrito denominado De Expugnatione Scalabis.
Como referenciar: Mem Ramires in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-12 08:53:00]. Disponível na Internet: