meteorito

Os meteoritos são pequenos fragmentos sólidos que se deslocam no espaço interplanetário a uma velocidade compreendida entre os 10 e os 40 quilómetros por segundo.
Quando a Terra interceta o seu movimento, os meteoritos, ao entrar na atmosfera, aquecem devido à fricção com o ar. A enorme quantidade de calor libertado faz com que os meteoritos vaporizem, fundam ou expludam. A entrada de um meteorito na atmosfera é detetada pela formação de uma estrela cadente, linha brilhante que sulca o céu durante curtos segundos. Só os meteoritos de maior tamanho sobrevivem à fricção atmosférica e chegam à superfície terrestre. A maioria dos meteoritos são destruídos nas camadas altas da atmosfera, a uns 15 a 30 quilómetros de altura.
Em certas alturas do ano, quando a Terra interceta a órbita de antigos cometas, produzem-se chuvas de meteoritos, muitas vezes mas impropriamente chamadas «chuvas de estrelas».
Atendendo à sua composição, os meteoritos dividem-se em três grupos: os metálicos ou siderites (compostos de ferro e níquel), os rochosos ou aerólitos (constituídos por 36% de oxigénio, 24% de ferro e 18% de silício), e os de composição intermédia ou siderólitos (com composição rica em ferro, níquel e silicatos).
Julga-se que estes três tipos de meteoritos resultaram da fragmentação de corpos celestes de maior tamanho, como, por exemplo, asteroides.
Como referenciar: Porto Editora – meteorito na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-09-22 11:40:05]. Disponível em