Michel Butor

Escritor francês, nasceu a 14 de setembro de 1926, em Mons-en-Baroeul, nos arredores de Lille, em França, mas, com apenas três anos, foi viver com a família para Paris, cidade onde fez todos os seus estudos, nomeadamente na Universidade da Sorbonne. Butor estudou Literatura e, posteriormente, licenciou-se em Filosofia, em 1945. Foi professor em França, no Egito, em Inglaterra, na Grécia, na Suíça e nos Estados Unidos da América, não deixando, no entanto, de se dedicar à escrita. Ganhou notoriedade como romancista em 1954 com Passage de Milan, estatuto consolidado, ainda na década de 50, com as obras La Modification, o seu romance mais conhecido, editado em 1957, e L'Emploi du Temps. Tal como outros autores da época, Butor fez um corte com os tradicionais conceitos de enredo e personagens, questionando o modo como era observada a realidade. Desta forma, fez parte do grupo de autores franceses associado ao nascimento do movimento literário nouveau roman, juntamente com Nathalie Sarraute, Alain Robbe-Grillet e Claude Simon. Em 1964, iniciou a publicação dos seus diários íntimos, aos quais deu o nome de Illustrations. Michel Butor dedicou-se também à escrita de ensaios, abordando, nomeadamente, a relação entre a literatura e outras formas de arte, como a música e a pintura. Em 1983, lançou Vieira da Silva – Peintures, um ensaio sobre a obra da conceituada pintora portuguesa. Fez ainda crítica literária, tendo elaborado um retrato psicológico do poeta francês Charles Baudelaire, e dedicou-se à poesia. Em colaboração com o compositor belga Henri Pausser, em 1962, Butor escreveu uma ópera à qual deu o título de Votre Faust. Entre diversos galardões, Michel Butor conquistou, em 1957, o Prémio Renaudot, um dos mais importantes do panorama literário francês, com a obra La Modification.
Como referenciar: Michel Butor in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-18 08:13:45]. Disponível na Internet: