Michèle Mouton

Piloto de automóveis francesa, Michèlle Mouton nasceu a 23 de junho de 1951, em Grasse. Mouton estudou Direito na universidade durante um ano, altura em que trocou o curso por um lugar de enfermeira estagiária num lar para deficientes. Depois foi trabalhar na companhia de seguros do pai, um grande amante dos desportos automóveis. Foi ele que incentivou Michèle Mouton a experimentar as corridas de ralis. A filha começou como copiloto, mas depois passou para o volante, tendo corrido em ralis com um Alpine Renault 1600 oferecido pelo pai a partir de 1970.
Aos 23 anos, Michèle Mouton ganhou pela primeira vez o Campeonato de França de Ralis, repetindo o feito no ano seguinte, 1975. Neste mesmo ano, ganhou a Taça das Senhoras do Rali de Monte Carlo, um dos mais conceituados do Mundo.
Em 1977 estreou-se no Europeu de Ralis, tendo ganho nesse ano uma prova, o Rali de Espanha. As suas performances começaram a ser notadas e, em 1978, a francesa foi contratada, juntamente com a copiloto Françoise Conconi, para pilotar pela Fiat France. Por esta equipa correu com um Lancia Stratos no Rali de Monte Carlo onde obteve o sétimo lugar da geral. Já com um Fiat 131 Abarth venceu o Tour de France, prova do Europeu. Em 1981 mudou-se para a marca alemã Audi, onde alcançou grande sucesso ao volante de um Audi Quattro, tendo como copiloto Fabrizia Pons. A francesa tornou-se muito popular, passando a ser uma das pilotos mais competitivas do Mundial de Ralis.
Em outubro de 1981, obteve a primeira vitória em provas do Mundial, ao vencer o Rali de San Remo, em Itália. Foi o primeiro triunfo de uma mulher numa prova do Mundial de Ralis.
No ano seguinte, afirmou-se definitivamente como candidata ao título ao vencer três provas do Mundial: Portugal, Grécia e Brasil. Uma desistência na Costa do Marfim levou a que perdesse as hipóteses de ganhar o campeonato.
Em 1983 já não esteve ao melhor nível e em 1984 desistiu em três das quatro provas em que participou. Assim, no final do ano trocou a Audi pela equipa francesa Peugeot, onde ao volante de um 205 Turbo 16 E2 nunca mais conseguiu alcançar o nível do passado.
Acabou por abandonar a competição, mas manteve-se ligada aos ralis, sendo uma das organizadoras da Corrida dos Campeões, uma competição extra-campeonato que junta, num fim de semana, os melhores pilotos de ralis.
Como referenciar: Michèle Mouton in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-01-21 00:00:49]. Disponível na Internet: