Artigos de apoio

Mistérios de Elêusis

Os Mistérios de Elêusis faziam parte de um festival religioso, em honra de Deméter, a deusa dos cereais e da fertilidade. Os objetivos da festividade eram não só recordar o rapto da filha da deusa, Perséfone (ou Core), por Hades (deus dos mortos), e o reencontro da jovem com a mãe, como também celebrar o ciclo da vida e da morte e o ciclo da vida produtiva e da vida estéril.
Os Mistérios de Elêusis realizavam-se de cinco em cinco anos, no outono, com música e danças. As cidades de Atenas e de Elêusis eram os principais palcos do festival. Os jovens de Atenas dirigiam-se a Elêusis (especificamente, ao templo da deusa Deméter), para pegar nos objetos sagrados do culto e levá-los para Atenas, onde eram colocados no templo Eleusinion, na base da Acrópole. No dia seguinte, os fiéis, que eram julgados dignos de participar nos mistérios, reuniam-se, primeiramente, em Atenas, à chamada do hierofante (o sacerdote que presidia aos rituais). Depois, purificavam-se no mar, levando consigo porcos que também eram aí banhados e, em seguida, sacrificados. De seguida, os objetos sagrados eram levados para Elêusis, em procissão, juntamente com a estátua de Iaco (provavelmente o nome místico de Dionísio), pois era este que dirigia misticamente a procissão dos iniciados. Finalmente, eram então celebrados os Mistérios, em Elêusis, nos quais apenas os iniciados podiam participar, tendo de guardar segredo sobre tudo o que se passava. Estes podiam ser homens, mulheres e escravos que falassem grego e cujas mãos estivessem limpas de crimes de sangue. A iniciação tinha duas etapas, realizando-se a segunda somente após um ano de duras provas. Segundo se pensa, os iniciados do primeiro grau, os mystae, depois de beberem o kykeon e comerem o pão sagrado, assistiam a um drama litúrgico que dizia respeito ao rapto de Perséfone. Os iniciados de grau mais elevado, os epoptae, assistiam a uma outra peça de teatro cuja história se centrava na união de Deméter com Zeus e que tinha como protagonistas a sacerdotisa de Deméter e o hierofante.
Não se sabe muito bem qual era o significado destes mistérios, mas supõe-se que estivessem ligados às revelações sobre o futuro e sobre a vida do além feitas por sacerdotisas em nome de Deméter, na sala de iniciação chamada Telesterion.
Os mistérios foram famosos em toda a Grécia e o seu culto só foi proibido no ano de 396, após a invasão de Alarico, rei dos Godos, e com a introdução do Cristianismo. A lenda atribui a fundação dos mistérios de Elêusis a Orfeu.
<
Como referenciar: Mistérios de Elêusis in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2018. [consult. 2018-06-23 05:38:39]. Disponível na Internet: